Idéias


ideias

Agora vou falar das idéias que se tornaram realidade, mas antes eram ficção cientícia. Uma série que eu gosto muito e deu muitos frutos, encontramos muitas idéias boas. Quem assistia a Jornada nas Estrelas, se lembra da tenente Uhura usando um fone sem fio quando ocupava o posto de oficial de comunicações da Enterprise. O alcance do aparelho é difícil de avaliar, uma vez que Uhura dificilmente deixava seu posto. Os fones Bluetooth atuais, porém, têm alcance de 100 metros, são menores que os da tenente e ainda funcionam em estéreo.

Não era só a Uhura que tinha seus gadgets, quando o Doutor Leonard “Bones” McCoyKirk o chamava de Magro na versão brasileira – precisava examinar um membro da tripulação ferido ou um ser de outro planeta, ele usava o tricorder médico, dispositivo portátil para diagnosticar as doenças do paciente. O equivalente atual, o scanner Magnetic Resonance Imagining (MRI), é preciso, porém nem um pouco portátil, pois ocupa uma sala. Nesse ponto Star Trek fez melhor.

commOs celulares com certeza tiveram origem em Star Trek. Até o nome de uns primeiro modelos da Motorola com flip, lançado em janeirio de 1996, homenageava a série, o Stat Tac. Os comunicadores que o Capitão Kirk custumava usava para chamar a Enterprise eram parecidos com os celulares de hoje. Outro aparelho comum em nosso dia a dia é o GPS (Global Positioning System). O console multicolorido da Enterprise apontava com precisão onde cada um dos seus tripulantes estava de maneira exata, algo que os sistemas de GPS atuais conseguem fazer de forma relativamente parecida, usando até 32 satélites na órbita terrestre, ainda que não funcione com a precisão exagerada da ficção.

O iPod também rende sua homenagem a série de TV, um dos desenvolvedores da Apple assistia a Jornadas nas Estrelas: A Nova Geração. Quando assistiu o tenente Data ouvindo quatro sinfonias ao mesmo tempo ficou maravilhado com cena. Naquela época um computador não conseguiria repoduzir nem mesmo uma música de ninar, porque não tinha capacidade física nem tecnológica. A Apple desenvolveu os primeiros computadores capazes de reproduzir música.

ipod classic 160gb whiteEm Star Trek: Enterprise, membros da nave usavam um tradutor universal para decifrar diferentes idiomas alienígenas. O mais próximo que temos disto hoje é um gadget usado pelo exército norte-americano em que pode se escolher uma série de frases já definidas para que o aparelho recite em outra língua. Mas temos também vários tradures na internet, claro que também deixam muito a desejar, mas estão melhorando.

O holodeck, que estreou na série Jornadas nas Estrelas: A Nova Geração era um ambiente que criava uma experiência de realidade virtual com imagens 3D, sons e campos de força. A tecnologia similar mais avançada de hoje é um capacete grande, no estilo do holodeck, capaz de estimular os 5 sentidos virtualmente. Também não está nem perto do que era possível realizar na série, mas a idéia é muito legal.

É interessante ver a contribuição mesmo que indiretamente uma série de TV sem muitas pretenções – com o objetivo de entreter – consegue fazer.

Anúncios

4 Respostas para “Idéias

  1. De toda a tecnologia de Jornada nas Estrelas, a que mais me chamava a atenção era o teletransporte.

    Nisso ainda estamos muito longe.

    Mesmo se conseguirmos algum dia (já se fazem teletransportes de pequenas partículas) teletransportar humanos, fico pensando se um ser humano teletransportado seria ele mesmo no local da rematerialização.

    Fisicamente até pode ser reconstruído (acho), mas e suas lembranças? Sua personalidade? Seu eu?

    Não seria um humano de mente vazia?

    Seguindo esse raciocínio, penso isso poderia explicar a mentalidade de muita gente que ando vendo por aí… 😀

    Isso já entraria pra filosofia! 😀

    • Essa parte filosófica é bem interessante e nos leva a inúmeras possibilidades, é por isso que eu não iria querer ser teletransportado. Sem contar que pela quantidade de átomos existem em cada um de nós, seria uma façanha incrível se isso fosse possível.

      Por exemplo, uma pessoa pesando 70kg teria em média 6.71 x 1027 átomos. Sei você está acostumado a trabalhar com números grandes devido ao tamanho do nosso Universo, mas não sei esses números chegam a essa grandeza.

      Fonte: The Foresight Institute

  2. Oi, Marcellus. Muito bacana o post. O físico Leonard Mlodinow, autor de O Andar do Bêbado (que a Zahar lançou recentemente), foi um dos roteiristas de Star Trek – Nova Geração. Hoje ele se dedica às teorias da aleatoriedade e do acaso, e usa, inclusive, exemplos como o iPod Shuffle pra explicar a aleatoriedade e como ela funciona.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s