Sexta-feira no Universo


Hoje é sexta, e toda sexta é o último dia de trabalho da semana. A sexta-feira. O dia da comemoração da emoção, mais um dia vai, mais um fim de semana vem. O descanso merecido. A sexta cheia de desejos e diversão, a sexta cheia de inspiração.

Em uma sexta-feira como esta, quando olhamos para céu, além das nuvens vemos o Sol, a Lua, as estrelas. Vemos o quanto somos insignificantes perante a imensidão do Universo. E tão importante diante do tremendo vazio do espaço. Vemos também nosso passado, o passado no universo.

Como a luz demora para chegar à Terra ao viajar grandes distâncias – já sabemos a velocidade da luz, definida como 299.792.458 metros por segundo, e as gendes distância chegam a bilhões de anos luz – os astrônomos enxergam objetos distantes como uma janela para o passado, que permite entender como era o Universo naquela época.

Dito isto, o Telescópio Espacial Hubble conseguiu detectar quatro galáxias a 13 bilhões de anos-luz de distância, batendo seu recorde anterior de distância observada. As fotos dos objetos, apresentadas, no início do ano, no encontro anual da AAS (Sociedade Americana de Astronomia), mostram como eram as estruturas numa época em que o Universo era muito jovem, com apenas 700 milhões de anos.

Segundo os cientistas que apresentaram a novidade, as galáxias descobertas agora pelo Hubble eram pequenas, com apenas 1% da massa da galáxia da Terra, a Via Láctea. As estrelas que elas continham, por sua vez, não eram nada parecidas com o Sol.

Elas eram tão azuis que deviam ser extremamente deficientes em elementos químicos pesados. Portanto, representam uma população com características primordiais“, afirmou em comunicado à imprensa Rychard Bouwens, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, um dos cientistas que anunciaram a descoberta.

O achado foi feito após uma análise de imagens tiradas com a nova câmera sensível à luz infravermelha do Hubble, instalada por astronautas em maio do ano passado. Imagens da mesma região já haviam sido feitas pelo Hubble, mas em luz visível, indo a até 12,7 bilhões de anos-luz de distância.

A descoberta de galáxias relativamente bem estruturadas a 13 bilhões de anos de distância, segundo os cientistas, é também um indício de que as primeiras estrelas do Universo devem ter se acendido antes do que astrônomos estimavam, de 500 milhões a 600 milhões de anos depois do Big Bang, o fenômeno “explosivo” que deu origem ao Universo.

Dúvidas na cronologia do Universo, até que distância poderemos enxergar? Será que veremos resquícios do início? A sexta-feira ainda é uma simples sexta-feira? A sexta-feira não dura para sempre, assim como não existirá para sempre. Existe alguma coisa que existirá para sempre?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s