Derretendo prótons e nêutrons


Continuando as aulas de culinárias, ontem falei de milkshake, hoje vou falar de sopa. Uma sopa de “letrinhas“, literalmente uma sopa de tudo. Uma sopa de qualquer coisa é o que cientistas criaram em laboratório. Eles conseguiram atingir a temperatura mais alta da história – 4 trilhões de graus Celsius. Quente o suficiente para desintegrar a matéria e transformá-la no tipo de sopa que existiu milionésimos de segundos depois do nascimento do universo.

Eles usaram um acelerador de partículas gigante, o Colisor Relativístico de Íons Pesados (RHIC), do Laboratório Nacional de Brookhaven, para bater íons de ouro na produção de explosões ultra-quentes, que duraram apenas milésimos de segundos.  O acelerador de partículas possui 3,8 quilômetros de comprimento e que está a 4 metros abaixo do chão em Upton.

No entanto, foi suficiente para dar aos físicos assunto para anos de estudo, que eles esperam vão ajudar a entender por que e como o universo foi formado.

Essa temperatura é alta o suficiente para derreter prótons e nêutrons“, disse Steven Vigdor, do Brookhaven. Essas partículas formam átomos, mas elas próprias são formadas por componentes menores chamados quarks e glúons.

Os físicos buscam agora minúsculas irregularidades capazes de explicar por que a matéria acumulou nessa sopa quente primordial. E também esperam usar seus achados em aplicações mais práticas – como no campo da spintrônica (um neologismo para “eletrônica baseada em spin“), que tem como objetivo desenvolver peças de computador menores, mais rápidas e mais potentes.

Para se ter uma idéia dessa temperatura, o centro do nosso Sol mantém-se a 15 milhões de graus, o ferro derrete a 1.800 graus e a temperatura média do universo é atualmente de -270,45 graus, apenas 2,7 acima do zero absoluto.

Por falar em sopa, se alguém cair em um buraco negro pode até não virar sopa, mas vai ficar bem “divididinho“. E qual seria a temperatura em um buraco negro? Bem, a resposta correta você encontra aqui, em Termodinâmica do buraco negro. Mas resposta simples está próxima do zero absoluto.

E porque eu falei em buraco negro? Porque Thomas Müller e Daniel Weiskopf, dois físicos de Stuttgart, criaram um programa de computador chamado DSSDistort Stellar Sky by a Schwarzschild Black Hole. ele mostra exatamente como o céu deve se comportar perto de um buraco negro. Baixando todos os arquivos necessários, você pode simular o que acontece ao ser sugado para dentro do corpo celeste.

Também é possível tentar uma aproximação ou o vôo a uma distância fixada: com o programa, você cria vários tipos de passeios nas proximidades do buraco.

O trabalho foi publicado no The American Journal of Physics, mas você pode fazer o download nesse endereço: DSS.

E já que falei das estrelas e lugares “onde nenhum homem jamais esteve“, vou falar também de Jornada nas Estrelas. Saiu o jogo Star Trek Online, da Atari e Cryptic Studios, o primeiro jogo online para múltiplos jogadores (MMO) passado no universo de ficção científica concebido por Gene Rodenberry em 1966.

O jogo ainda tem as participações de Zachary Quinto, que interpretou Spock no filme de J.J. Abrams e empresta sua voz a um médico do jogo. E Leonard Nimoy, o Spock original, que trabalha como narrador do jogo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s