Second Earth

second_earth

Second Earth é uma boa dica de jogo de estratégia para Android e iOS. Nele você será o comandante de um grupo de exploradores que buscam colonizar, defender e desenvolver os seus próprios planetas fazendo o upgrade das tropas, recolhendo tesouros, implantando estrategicamente unidades de canhões de plasma, bunkers e artilharia antiaérea para se defenderem contra o ataque de outros jogadores. E ainda faz referências a vários outros jogos famosos do gênero, como Starcraft e Halo.

Second Earth se assemelha a Clash of Clans, mas adiciona novidades ao gênero como maior quantidade de tropas voadoras, uso de armas nucleares e rápida criação de tropas. Com comandos simples, já é possível construir as primeiras unidades e enviá-las para o combate. O jogador tem duas opções, enviar as unidades de combate para enfrentar piratas especiais em missões emocionantes, ou enfrentar outros jogadores em divertidas partidas multiplayer. Assim como em demais jogos do gênero, Second Earth permite a criação de clãs que no jogo são interpretadas como alianças galácticas.

Quem quiser poderá me encontrar jogando!

Thor: The Dark World

Mjölnir

Mjölnir

Gostei muito do jogo Thor: The Dark World. Um jogo de ação oficial do filme Thor: O Mundo Sombrio para Android e iOS, todo em português e de autoria da Gameloft em parceria com a Marvel. Thor é melhor descrito como um single-player MOBAMultiplayer Arena de Battle Online. Onde Thor é o campeão e controlado diretamente pelo jogador deve atravessar várias fases, distribuídos em todos nos sete reinos, seja defendendo sua base ou atacando a base de seus inimigos. Onde o jogador pode recrutar soldados para ajudar nos combates.

São 18 fases separadas em 90 missões, com uma jogabilidade diferenciada, para o jogador percorrer toda Asgard e o Mundo Sombrio.À medida que progride através de história, enfrentando as forças de Loki e Malekith, o mestre dos Elfos Negros, antigos inimigos de Asgard, Thor ganha pontos de experiência, ouro e runas, usados ​​para comprar upgrades, desbloquear novas habilidades e aumentar o poder de seus Einherjar e heróis. Ele pode até mesmo desbloquear uma variedade de trajes especiais e martelos, cada um com seus próprios benefícios especiais.

Thor: The Dark World é um jogo gratuito, mas você deve ter muita paciência para jogar muito até conseguir o que quer, porque objetivo da produtora é ganhar dinheiro. Quem gostar do estilo tem muitas horas de jogo.

Waking Mars

waking_mars

Eleito como o melhor jogo para mobile de 2012, Waking Mars é a minha mais recente aquisição para Android.

A ideia do jogo é bem interessante, a exploração em Marte. No futuro não tão distante de 2093, foram encontrados sinais de vida no subsolo de Marte. Você joga como Liang, um astronauta que usa um traje com jatos para estudar o ecossistema das cavernas.

Para criar um ambiente de ficção científica e de exploração, a Tiger Style desenhou cenários bem elaborados (em 2D), controles simples e uma mecânica central inteligente tornam a experiência do jogo ainda melhor. Na exploração das caverna para passar de uma área para outra, você deve aumentar sua biomassa do lugar, cultivando espécies de plantas marcianas chamadas Zoa. Lembra de FarmVille e Colheita Feliz? Não tem nada haver, mas tem planta também e você acaba sendo um fazendeiro de Marte. 🙂

Bem, voltando ao jogo, cada espécie de Zoa interage de um jeito diferente com as outras espécies. Criar um ecossistema eficiente em cada seção é difícil, principalmente nas últimas partes do jogo. Para entender e entender melhor as variadas espécies, é preciso experimentar.

Hero_1

Waking Mars apresenta-lhe um mundo de vida bizarro e hostil de uma forma divertida que me fez lembrar de H.e.r.o., da Atari (Está bem, depois de colocar a imagem do jogo de 1984, dá para perceber as diferenças). A história do jogo não nem envolvente, nem interessante, mas dá para notar que eles tentaram. Gostei muito das fases, dos quebra-cabeças de Waking Mars e do tempo do jogo com mais de 6 horas de duração. Trata-se de um ótimo jogo para aqueles que gostam de explorar cada detalhe e se envolver em grandes desafios, mas cansativo para os jogadores mais casuais.

Final Fantasy IV

Final Fantasy IV - Main Image

Final Fantasy IV, é um marco na franquia da Square-Enix por ser o primeiro a apresentar muitas das características atuais de jogos de RPG, incluindo todo o conceito de narrativa dramática em um RPG. Tendo sido lançado em 1991, no Japão, o jogo conta a história do protagonista do jogo é Cecil (no outro jogo de PSP, Dissidia: Final Fantasy, ele era muito ruim de jogar), um cavaleiro negro.

Apresentei o jogo para falar da versão para Android. Final Fantasy IV é certamente uma versão melhor do que Final Fantasy III – que eu gostei bastante. Vem com a versão original em japonês, opção de textos em português (pela primeira vez) cenas extras, texturas e efeitos de resolução um pouco melhor em algumas áreas. Ainda se parece com um jogo de DS, com personagens dos jogadores notoriamente em blocos e texturas em todos os heróis, mas isso não impede que seja uma experiência fantástica.

Graficamente Final Fantasy IV não faz uso da atual arquitetura móvel, como dito antes. No entanto, é quase perfeito, com a tela aproveitando toda a tela na sua maior resolução. Cidades, personagens, armaduras e armas são todas variadas. As coisas parecem muito em blocos, mas não há um momento em que necessariamente quebre de imersão.

O áudio também tem uma estética retro sem ser exagerado. Toda a música é gravada eletronicamente, típico de qualquer jogo de Final Fantasy antes dos novos consoles. Itens, magias, combates, cidades, e o mundo do jogo, todos têm os seus próprios sons e temas.

Screenshot_FFIV_2

O sistema de batalha é mais complicado que o III. É do tipo ame-o ou odei-o, não há seleção de “jobs” para os personagens, mas que faz sentido do ponto de vista narrativo, porque a história leva à mudanças estratégicas que mantem as coisas interessantes.

Final Fantasy IV continua a ser um dos jogos mais tático da série, em quase nenhuma das batalhas será possível sair sem tomar dano. Para enfrentar todos os chefes será necessário descobrir como matá-los – quais são os seus pontos fracos, ou em que ordem deverá eliminá-los. O jogo é certamente difícil, mas não é injusto.

Não há nenhum outro RPG no mercado que rivalize com Final Fantasy IV pela qualidade ou conteúdo, e com mais de 20 horas para a conclusão, vale cada centavo. É viciante, charmoso e me faz lembrar por que Final Fantasy é considerado uma das melhores séries de todos os tempos.

Machinarium

Machinarium é um jogo sensacional que ganhou vários prêmios como de melhor jogo e melhor Arte Visual em vários sites especializados.

O jogo tem estilo quebra-cabeça mesclado com ação em que você deverá guiar Josef, um robozinho cheio habilidades, para reencontrar sua namorada, mas para atingir seu objetivo deverá enfrentar vários desafios. O jogo me lembrou um a clássico chamado Abe’s Oddysee, lançado para PC e Playstation em 1997. Machinarium impressiona pelo visual muito bonito e charadas inteligentes. No entanto, o jogo só roda em dispositivos Android com uma resolução HD (720p) para cima!

Confira o video de apresentação, vale muito a pena.

Battleheart

Battleheart é um jogo para o Android muito divertido. O jogo é um RTS (estratégia em tempo real), desenvolvido pela Mika Mobile, que nos traz um game com um gráfico 2D junto a comandos simples e a experiência de controlar uma equipe contra goblins, orcs, esqueletos e etc. É uma verdadeira batalha medieval em miniatura.

Você só se utiliza toques simples. O conceito é simples assim, você deve montar uma equipe de 1-4 personagem e sobreviver a uma batalha por 3-6 minuto de duração, a fim de passar para a próxima batalha. Esse é o jogo inteiro, o que para alguns pode parecer chato, mas está longe disso.

Com sons e gráficos divertidos e bem desenhados. Comandos simples e gráficos em 2D, você pode escolher entre vários personagens de várias classes e equipá-los com armas armaduras e itens que irão evoluindo com o jogo.

Battleheart é um jogo divertido e viciante, mas não é para todos. Algumas pessoas irão odiá-lo, enquanto outros irão adorar. A jogabilidade é simples, a história não existe e a música é meio repetitiva. Ok, eu sei que parece que estou batendo no jogo, mas não me interpretem mal. O jogo é divertidíssimo, é muito fácil de aprender e da para jogar por horas sem perceber.

TripIt

Estou falando demais de Android, até parece que estou fazendo propaganda. Mas adorei esse aplicativo do Android, o TripIt. Na verdade é um portal com várias dicas para sua viagem. No caso a minha viagem para a Califórnia.

“Garota eu vou prá Califórnia
Viver a vida sobre as ondas”
Lulu Santos

O que o TripIt faz? Organizar detalhes da viagem em um itinerário em linha – mesmo que os arranjos sejam contabilizados em outros sites de viagens; Incluir automaticamente mapas, rotas e tempo em seu itinerário mestre – isso eu adorei, eles utilizam o Google Maps, claro; Tem a opção de reservar restaurantes, entradas de teatro, atividades e muito mais direito do itinerário on-line; Acesso seguro aos planos de viagens online, a possibilidade de compartilhá-los, fazer check-in de vôos, ou imprimir um itinerário.

Fiz todo meu plano de viagem com data, hora e distâncias. Fis os trajetos que devo seguir entre os hoteis e os passeios, tudo com rota e caminhos bem explicados. Isso é muito maneiro.

Sentinel 3: Homeworld

Sentinel 3: Homeworld, um grande jogo para o Android, mostra o quão longe chegamos nos últimos anos. É um de vários outros jogos da série de torres. Ter mais um jogo com base na fórmula básica de torre de defesa deve significar que há uma demanda para a série.

O desenvolvedor Origin8 com certeza lançou o jogo com novos conteúdos, e apresentação melhorada. Em Sentinel 3: Homeworld criaram um dos mais profundos, e definitivamente mais hardcore jogo de defesa da Android Market. Um daqueles raros jogos torre de defesa que realmente se destaca da multidão.

Outra coisa que adorei no jogo, foi o nome que me lembra outro jogo com o nome Homeworld, e que eu já escrevi sobre ele.

Em primeiro lugar Sentinel, 3: Homeworld usa barreiras para criar “pontos de estrangulamento” naturais em cada nível. A fim de progredir para o nível, os inimigos terão de quebrar as barreiras, e você deve manter as barreiras inteiras o maior tempo possível.

Sentinel 3: Homeworld também difere dos outros jogos de torre de defesa porque você tem realmente um personagem na tela. Sua sentinela irá atacar automaticamente qualquer inimigo que chegar muito perto dele, e ele ainda tem habilidades especiais que você pode usar para destruir seus inimigos.

Você também vai desbloquear vários outros poderes especiais que poderá usar para varrer os seus inimigos do mapa. E como se tudo isso não bastasse, você também ganha experiência enquanto joga, progrede, sobe de nível, e desbloquea novas torres e habilidades.

Space Invaders Infinity Gene

O Space Invaders Infinity Gene para Android é sensacional, lembrando o original com os seus gráficos vetoriais no estilo dos anos 80.

O jogo começa com um breve vislumbre do Space Invaders original. Em seguida Infinity Gene leva a saga a outros vôos, literalmente, ou seja, pela primeira vez num título da saga Space Invaders deixamos de estar limitados ao eixo X e podemos manobrar livremente a nave pela tela mais ao estilo shooter.

Em cada etapa são adicionados novos recursos e armas para a sua nave e pode até mesmo desbloquear itens de menu adicionais e outras opções de jogo. Space Invaders Infinity Gene é uma experiência frenética e incrivelmente divertida, e oferece uma das melhores experiências de shooter no Android.

O nome Inifinity Gene vem do fato de existir uma “árvore” que vai evoluindo à medida que apanhamos power-ups e passamos de nível. Os vários estágios de evolução da árvore vão alterar a maneira como jogamos, dando-nos outros estilos de armas, velocidade e outras capacidades.

O jogo oferece controles de touch screen perfeitos, o que lhe permite tocar e segurar em qualquer parte da tela para mover a nave. Isso evita o problema de obscurecer o sua nave com o seu dedo, e facilita a esquiva. O disparo é definido como auto-fogo, mas nas configurações do jogo, é possível desabilitar esta ajuda.

Veja o video oficial do jogo Space Invaders Infinity Gene:

Os adversários utilizam armas diferenciadas e é necessário ser rápido para aprender a neutralizá-las. Infinity Gene tem a evolução como tema. Os nomes das fases remetem aos conceitos dos estudos da evolução. E até mesmo os menus enfatizam o tema.

Destravando capacidades adicionais, você as adiciona à sua árvore evolutiva. Os power-ups incluem armas avançadas, tais como tiro rápido, laser de busca, onda, lock-on, e gravidade. Existem outros estágios extra, e itens de menu, mesmo extra. Por exemplo, o menu de configurações, inicialmente, apenas permite que você tem 3 vidas por o jogo, mas depois desbloqueia permitir 5 ou mesmo 7 vidas (isto é até onde eu fui). A vida extra e armas vêm a calhar em níveis mais tarde, como as rampas de dificuldade. O jogo também vem com “Easy” e “Normal” dificuldades, mas depois é liberado o modo de “Hard“.

Enquanto a contagem de estágio oficial seja de 38, o número possível de níveis para jogar é essencialmente infinita devido as inúmeras possibilidades oferecidas pela evolução.

Outro dos pontos altos do jogo é a trilha sonora, ao mais puro estilo electro, adequa-se 100% à jogabilidade, mas o jogo inclui uma opção de menu “Music” que permite escolher uma música do seu Android e tocar uma música especificamente nível de jogo gerado. Isto significa que quando você voltar a jogar com a mesma canção, você vai ter o mesmo nível. (Note que os níveis na verdade não seguem o ritmo ou batida das músicas, mas são geradas através de programação a partir dos dados da canção.)

Space Invaders Infinity Gene é um esforço incrível da Taito para trazer uma versão nova e moderna de Space Invaders para o Android. A jogabilidade, a possibilidade de evoluir, as música variada e os níveis gerados devem dar a este jogo uma vida útil longa em seu Android.

Cut the Rope para Android

Acabei de instalar Cut the Rope (Corte a Corda, traduzindo) que chegou ao Android. É um daqueles títulos do iOS que tem chamado atenção. Claro, não é do nível de um Angry Birds ainda, mas é muito divertido.

Cut the Rope é um jogo onde você aponta um pedaço de doce para alimentar um monstro verde chamado Omnom. O doce está sendo mantido no ar por um pedaço de corda que é afetada pela física e é, também, bastante elástico. Usando o seu dedo como um cortador, você corta cordas diferentes a fim de coletar estrelas e, finalmente, alimentar o Omnom.

Como todos os bons jogos de quebra-cabeça, Cut the Rope tem uma premissa simples e evolui em cima disso. Jogadores que pretendam concluir 100% do jogo terão que obter as estrelas, que também servem como chaves para novos níveis. Mundos diferentes se abrem quando as estrelas são coletados, o que lhe dará um incentivo a mais para coletá-las. O jogo também usa um sistema de realizações e pontuação, satisfazendo o seu lado competitivo.

O jogo é gratúito, mas não está no Android-Market, só é possível encontrá-lo no Getjar. Download do Cut the Rope.