Intrigantemente Quântico

Física quântica, um nome tão intrigante quanto o que ele representa. A palavra “quântica” (do Latim, quantum) quer dizer quantidade. Refere-se a uma unidade discreta que a teoria quântica atribui a certas quantidades físicas. Um ramo fundamental da física com vasta aplicação, a Mecânica Quântica estuda sistemas físicos cujas dimensões são próximas ou abaixo da escala atômica, tais como moléculas, átomos, elétrons, prótons e de outras partículas subatômicas, muito embora também possa descrever fenômenos macroscópicos em diversos casos.

A física quântica contém mistérios capazes de surpreender até mesmo as mentes mais criativas. E indica que partículas subatômicas, como o elétron, atua como onda em determinadas condições, e se comporta como partícula em outras. Esta propriedade é denominada dualidade onda-corpúsculo.Segundo o Wikipédia, “a dualidade partícula-onda foi enunciada pela primeira vez, em 1924, pelo físico francês Louis-Victor de Broglie.

Outro ponto abordado pela mecânica quântica, O princípio da incerteza de Heisenberg, “formulado inicialmente em 1927 por Werner Heisenberg, impondo restrições à precisão com que se podem efetuar medidas simultâneas de uma classe de pares de observáveis em nível subatômico.” Que, em resumo, quer dizer que na escala quântica ao se medir a velocidade de uma partícula com precisão, a posição dessa partícula não seria totalmente previsível. O mesmo acontece ao contrário, ao saber com precisão a posição de uma partícula, sua velocidade não será totalmente previsível.

Nos dois casos o olhar do observador interfere no que está sendo observado. Vemos muitos questionamentos sobre o que é realidade, tanto na física quanto na filosofia. O que é real? Será que é o que vemos? É o que interpretamos? Como percebemos a realidade?

Albert Einsten disse certa vez que “Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual!” Então vamos pensar fora da caixa, vamos mudar nosso olhar. Porque do mesmo jeito que nosso olhar pode interferir no que observamos, o que vemos pode mudar o que somos. Então vamos fazer diferente, vamos fazer a diferença!

Veja as coisas de uma forma diferente que essa diferença pode mudar você.

Para Falar de Nada

Acabei de ler um artigo na Folha de São Paulo, do físico Marcelo Gleiser, A morte do Nada. Gosto muito da sua coluna.

Gleiser comenta o fim do Nada, um assunto que eu mesmo já abordei em Nada e Nada de novo. O Nada que o Gleiser aborda é o Nada “real“, ou o vácuo completo. Mas nada continua existindo em outras esferas de realidade, em pensamentos, conceitualmente. Até o fim.

Mas a grande questão é: Exite o fim? Porque o início todos dizem que foi o Big Bang, ou foi Deus quem fez. Mas e antes disso o que era? Nada? Ou realmente o início não existiu? Se não teve início não existe fim. Temos apenas conceito de início e fim, tudo e nada. Somos apenas um conceito? Existimos realmente? Física, Religião, Filosofia. Nada explica isso. Ou melhor: Nada explica isso!!!

Filosofia Chinesa

Lança o saber e não terás tristeza
Lao Zi

Para alegrar um pouco esse final de ano, um pouco da sabedoria oriental vista pela minha filosofia ocidental.  Vamos começar a jornada, pois, “Uma longa viagem começa com um único passo“. A frase também pertenca a Lao Zi também escrito e pronunciado LaoziLao TzuLao TséLao TziLao Tseu ou Lao Tze. A ele é atribuída a autoria de uma das obras fundamentais do taoísmo: o TAO TE CHING. A influência deste livro é tão grande que tornou-se na atualidade um dos livros mais traduzidos em todo o mundo.

Nascido na China, ele é considerado um filósofo e alquimista. Não penso nele como filósofo e acho que ele também pensaria assim. Penso que a filosofia é algo oriundo da antiga escolástica grega. Há muito se discute se haveria uma “filosofia” como um sistema codificado de preceitos, fora do que se entende como filosofia no Ocidente, com estudos sobre epistemologiaéticamoral, e que teriam dado toda a base do pensamento ocidental, passando por Aristóteles, Platão, Sócrates, São Tomás de Aquino, Espinoza, KantHusserl entre muitos outros não menos importantes.

Se bem, que nem todo o pensamento Oriental é sempre especulações acerca de conceitos teológicos, então pode constituir uma filosofia dita com propriedade. Como eu não sou o dono da verdade, vamos deixá-lo como filósofo. Mesmo porque como diria o próprio Lao Zi, “Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão“.

Escrevi e não disse à que vim. Quero citar Lao Zi e outro grande filósofo chinês que também era um grande estrategista e general militar, Sun Tzu. Ele tem tido um impacto significativo sobre chineses, a História asiática e sua cultura, tanto como autor de A ARTE DA GUERRA e como legenda. É questionada a sua real existêntecia, mas seu legado não!

A suprema arte da guerra é derrotar o inimigo sem lutar“, Sun Tzu escreveu. O que podemos deduzir disso? Ele mesmo responde: “O verdadeiro objetivo da guerra é a paz“. Estrategista e filósofo.

Enquanto Lao Zi diz: “Conhecer os outros é sabedoria. Conhecer-se a si próprio é sabedoria superior“. Sun Tzu explica milititamente que “Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas…

Os pensamentos se completam. “O sábio não tem conceitos inflexíveis. Adapta-se aos dos outros“, disse Lao Zi. “A habilidade de alcançar a vitória mudando e adaptando-se de acordo com o inimigo é chamada de genialidade“, escreveu Sun Tzu.

Se estiveres no caminho certo, avança; se estiveres no errado, recua“, Lao Zi. “Triunfam aqueles que sabem quando lutar e quando esperar“, Sun Tzu.

A fluidez da água como pensamento, movimento, como arma, como amor. “Neste mundo, nada é mais maleável e frágil quanto a água. Contudo, ninguém, por mais poderoso que seja, resiste à sua ação (corrosão, desgaste, choque de ondas), ou pode viver sem ela. Não é bastante claro que a flexibilidade é mais eficaz que a rigidez? Poucos agem de acordo com essa convicção“, Lao Zi.

A versatilidade é o que pede Sun Tzu, “Seja extremamente sutil, tão sutil que ninguém possa achar qualquer rastro. Seja extremamente misterioso, tão misterioso que ninguém possa ouvir qualquer informação. Se um general puder agir assim, então, poderá celebrar o destino do inimigo em suas próprias mãos“.

Mas as contradições acompanham o pensamento dos dois. Lao Zi escreveu, “Grandes realizações são possíveis quando se dá importância aos pequenos começos“. “Meça sempre aquilo que foi feito com aquilo que poderia ser feito“. E “As palavras verdadeiras não são agradáveis e as agradáveis não são verdadeiras“.

A visão de um estrategista não pode ser dúbia, deve parecer dúbia, tem que ter fluidez, versatilidade, adaptabilidade, sabedoria e conhecimento. “Um chefe que é capaz deve fingir ser incapaz; se está pronto, deve fingir-se despreparado; se estiver perto do inimigo deve parecer estar longe“, escreveu Sun Tzu.  Lao Zi rebate, com a seguinte frase:  “Aquele que souber adaptar-se será preservado até o fim“.

A contradição de Sun Tzu está presente para mostrar a vitória. “A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra que sua força é inadequada; quem ataca, mostra que ela é abundante“. E “A estratégia sem tática é o caminho mais lento para a vitória. Tática sem estratégia é o ruído antes da derrota“.

o pensamento oriental, sabedoria e conhecimento não andam juntos. Segundo Lao Zi, “O motivo pelo qual não é fácil para as pessoas viverem em paz, está no fato de saberem demais“. Mas o ensino é baseado em conhecimento, quando Lao Zi diz que “Se deres um peixe a um homem faminto, vais alimentá-lo por um dia. Se o ensinares a pescar, vais alimentá-lo toda a vida“. Ele novamente se contradiz, é preciso conhecimento para viver melhor, mas não é sabio. E continua dizendo que “Para ganhar conhecimento, adicione coisas todos os dias. Para ganhar sabedoria, elimine coisas todos os dias“.

No fim das contas o que Lao Zi quis dizer quando disse que é que devemos saber quando parar. Então, “Se quisermos que a glória e o sucesso acompanhem nossas armas, jamais devemos perder de vista os seguintes fatores: a doutrina, o tempo, o espaço, o comando, a disciplina“, disse, Sun Tzu. “A maneira de fazer é sendo“, simplifica, Lao Zi. Porque “O verdadeiro método, quando se tem homens sob as nossas ordens, consiste em utilizar o avaro e o tolo, o sábio e o corajoso, e em dar a cada um a responsabilidade adequada“. Mais uma frase de Sun Tzu que resume o pensamento oriental.

Mais uma vez, Sun Tzu, “As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas“.  E para finzalizar, “Há momentos em que a maior sabedoria é parecer não saber nada“.

Nebulosa de Orion

Os telescópios espaciais, da NASASpitzer e Hubble se uniram para expor o caos que as estrelas bebês estão criando à 1.500 anos-luz de distância em uma nuvem cósmica chamada a nebulosa de Orion. Eu já falei algumas vezes sobre a nebulosa de Orion, quando falei da Nebulosa Horsehead e sobre a Reflexão da Nuvem de Poeira de Orion.

A imagem abaixo é uma composição falsa de cor, onde a luz detectada em comprimentos de onda de 0,43, 0,50 e 0,53 microns é azul. Luz em comprimentos de onda de 0,6, 0,65 e 0,91 microns é verde. Luz de 3,6 microns é laranja, e 8,0 microns é vermelho.

Analisando a imagem, este composto notável infravermelho e luz visível indica que quatro estrelas monstruosamente enormes no centro da nuvem podem ser as principais culpadas do caos na constelação de Orion. Clique na imagem para ampliá-la. As estrelas são chamadas coletivamente de Trapézio. A comunidade pode ser identificada como a mancha amarela, perto do centro da imagem.

Redemoinhos de verde em ultravioleta e luz visível, vista do Hubble, revelam hidrogênio e gás de enxofre que devem ter sido aquecido e ionizado pela radiação ultravioleta intensa das estrelas do Trapézio. Uma nota que não tem nada haver com astronomia, mas mesmo assim é interessante. O gás de enxofre pode substituir Viagra, o composto químico pode provocar os mesmos efeitos que o famoso fármaco contra a disfunção eréctil.

Enquanto isso, a visão de infravermelho do Spitzer expõe as moléculas ricas em carbono, chamado de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos. Estas moléculas orgânicas foram iluminados pelas estrelas do Trapézio, e são mostrados na composição como fios de vermelho e laranja. Na Terra, os hidrocarbonetos  policíclicos aromáticos são encontrados na torrada queimada e em veículos automotores.

Juntos, os telescópios expõem as estrelas de Orion como um arco-íris de pontos espalhados pela imagem. Os pontos amarelo-alaranjado revelado pelo Spitzer são estrelas realmente jovens enraizada profundamente em um casulo de gás e poeira. O telescópio Hubble mostrou menos estrelas incorporado com manchas de verde, e as estrelas de primeiro plano como pontos azuis.

Os ventos estelares a partir de aglomerados de estrelas recém-nascidas espalhadas por toda a nuvem deixam todas as cristas bem definidas gravadas em cavidades na nebulosa de Orion. A grande cavidade perto da direita da imagem foi provavelmente esculpida pelos ventos das estrelas do Trapézio.


Johannes Hevelius chamou a constelação de Orion, em Uranographia, seu catálogo celestes em 1690.

Localizado a 1.500 anos-luz de distância da Terra, a nebulosa de Orion é o ponto mais brilhante da espada de Orion, ou a constelação do “Caçador”. A nuvem cósmica é também mais próxima da nossa fábrica de formação de estrelas massivas, e os astrônomos acreditam que ele contém mais de 1.000 estrelas jovens.

Na mitologia, Orion era filho de Poseidon, o Deus dos mares, com uma mortal, sendo assim tinha grandes habilidades para a caça e um vasto conhecimento, porém não era considerado um Deus. Orion era um gigante caçador, amado por Artemis, com quem quase se casou. Após ser morto foi colocado como constelação no céu, a conhecida constelação de Orion que fica perto da constelação do seu amigo Sirius conhecida como estrela sirius.

A constelação de Orion é uma visão familiar no céu da noite de inverno no hemisfério norte. A nebulosa é invisível a olho nu, mas pode ser vista com binóculos ou pequenos telescópios.

Observação: Meu amigo NerdVader, do site GrandeBlah!, comentou que é possível ver as estrelas do Trapézio de Órion “nuas” no infra-vermelho, no Astronomia na Web.

Surf

O surf e sua história: quando teve origem não se sabe exatamente, sabe-se porém que esta prática de deslizar sobre as ondas há muito já era praticada pelos povos polinésios.O primeiro relato concreto da existência do esporte foi feito pelo navegador James Cook, em 1778, que descobriu o arquipélago do Havaí e viu os primeiros surfistas em ação.

As pranchas eram fabricadas pelos próprios usuários que utilizavam-se inicialmente pranchas de madeira confeccionadas para deslizar nas ondas do mar. Acreditava-se que ao fabricar sua própria prancha se transmitia todas as energias positivas nela e ao praticar o surf se libertava das energias negativas.

onda_002

Porem os primeiros praticantes desse esporte acreditavam que sua pratica seria na verdade um culto ao espírito do mar em sua cultura original. Cook, considerou o surf uma atividade relaxante, mas diversos missionários protestantes que habitavam o local não tiveram a mesma opinião e durante todo o século XVIII desestimularam a prática do esporte.

Fiz essa introdução porque agora chegou a minha vez, comecei a surfar neste sábado, aloha! Eu e minha mulher, é bem legal, mas não é nada fácil. Estou fazendo as aulas na Escola Pedro Muller, fica entre os postos 5 e 6 na praia da Barra da Tijuca, próximo ao Beton.

Hoje, o mar estava calmo, perfeito para aprender a surfar. Peguei as dicas de como ficar na prancha, como devo levantar e me posicionar. Tudo isso na areia.

Depois entramos no mar, pegamos nossas pranchas, long board ou pranchão que tem mais estabilidade. A àgua estava com uma temperatura agradável, poucas ondas, o que facilitava a chegada para depois da arrebentação.

A aula foi muito legal, sem caldo e ainda consegui ficar de pé na prancha, claro que levei alguns tombos, mas foi tudo muito tranquilo e legal. Minha mulher também adorou, fez tudo direitinho, mas disse que só de ficar deitada na prancha depois da arrebentação já era tudo de bom.

Encontrei o site Rico Surf que possui várias informações, notícias, entrevistas e dica sobre surf. Fala sobre as ondulações, tamanho, ventos e ainda tem videos das principais praias do Brasil.

Em breve estarei surfando ondas como esta do video, Jaws.

Tempo

Quanto tempo de vida nós temos? O post de ontem mostrei um video da mosca que tinha um minuto de vida. Pensando nisso, resolvi ver quanto tempo temos de vida, o ser humano, a humanidade, a Terra, nosso Sol, o Universo. Qual seria o ser ou a matéria com o menor tempo de vida?

As tartarugas Marion, das ilhas Seychelles, no oceano Índico, detêm o recorde de longevidade entre os animais: 152 anos de idade. O mamífero de vida mais longa é o homem. O homem mais velho do mundo, é Henry Allingham, superou todas as expectativas e já chegou à casa dos 113 anos. Depois, vem o elefante asiático, com 78 anos.

As moscas, como a do desenho, tem o ciclo de vida de 25 a 30 dias. E as drosófilas (moscas de banana) durante somente 24 horas, porque o seu metabolismo é super rápido.

A idade da Terra é de aproximadamente 4,56 bilhões de anos, mas como foi calculado isso? O calculo foi feito a partir da relação entre dois isótopos de chumbo formados pela decomposição de isótopos de urânio. Uma explicação rápida, os isótopos átomos com o mesmo número atômico e diferentes números de massa de uma série de elementos químicos, como o urânio, se decompõem e produzem outras substâncias pela emissão de partículas ou radiações. O tempo necessário à decomposição de metade da massa radioativa desses elementos é chamada meia-vida. Conhecendo as quantidades dos elementos radioativos e do material deles derivados, calcula-se a idade de um mineral. Esse método chama-se datação radiativa. Assim, a idade da Terra aproximadamente 4,56 bilhões de anos foi determinada a partir da relação entre dois isótopos de chumbo formados pela decomposição de isótopos de urânio.

Então temos átomos vivendo milhões de anos, apesar de meia-vida ser diferente de vida média. A vida média é a média aritmética do tempo de vida de todos os átomos de uma determinada massa deste isótopo. Então, a meia-vida do carbono-14 é de aproximadamente 5.730 anos enquanto a sua vida-média é de aproximadamente 8.200 anos. Como vive esse carbono. Por falar nisso tem uma história interessante sobre o carbono: Crônica de um Carbono Ancião.

Voltando ao tempo de vida, o Sol formou-se cerca de 4,57 bilhões (4,567 mil milhões) de anos atrás quando uma nuvem molecular entrou em colapso. E ele ainda tem cerca de 5 bilhões até explidir e se tornar uma gigante vermelha e como tal existirá por cerca de 100 milhões de anos, quando então o hélio no núcleo solar esgotará. Ele se tornará uma anã branca com metade da massa atual (com o diâmetro da Terra) por bilhões de anos. Hei, eu já falei sobre o Sol, Outro Sol.

Repetindo imagem? Que coisa feia.
Mas até que combina com tempo, ciclo de vida.

O nosso universo tem aproximandamente 13.7 bilhões de anos, e não sei precisar quanto tempo durará, mas receio que seja muito tempo, muito tempo mesmo!

Mas o que existe por muito pouco tempo? As drosófilas vivem por um dia, mas existem outros elementos que vivem muito pouco, mais muito pouco mesmo. Os bósons, alguns vivem 10-25 segundos. Que faz parte das partícula elementares. Elementar meu caro Watson.

O tempo, a existência, a complexidade do existir no espaço e no tempo. “A concepção comum de tempo é indicada por intervalos ou períodos de duração. Por influência da teoria da relatividade idealizada pelo Físico Albert Einstein, o tempo vem sendo considerado como uma quarta dimensão do Continuum espaço-tempo do Universo, que possui três dimensões espaciais e uma temporal.” (Wikipédia)

Uma ilusão. A distinção entre passado, presente e futuro não passa de uma firme e persistente ilusão.” (Albert Einstein)

Insignificante imensidão

Todos os dias eu acordo e luto para me sentir bem, seguro e feliz. A segurança que tinhamos quando estávamos na barriga de nossa mãe. Essa segurança nunca mais existirá. Saímos para o mundo. Um mundo com letra minúscula, quando somos criança vemos o mundo só nosso, onde somos rei. Assim era a humanidade no seu início.

Os primeiros homens na Terra tinham uma visão de mundo onde eles eram

centro das atenções. E seus Deuses, assim como nossos pais cuidavam de nós. A medida que crescemos vemos que nossos pais são como nós e que um dia seremos como eles. A humanidade creceu e entendeu que não eram divindades que faziam o Sol nascer, as plantas crescerem, a chuva cair e outros fenômios da natureza. Começamos a ver um mundo maior, enxergamos mais longe.

A humanidade descobre que a Terra é imensa, aprendemos na escola que a Terra é redonda. Parece simples, tudo é simples depois de explicado, mas achar a explicação e comprovar é mais complicado. Depois olhamos para o céu e descobrimos que o céu imenso, infinito ou quase isso. Outro fato simples difícil de se comprovar, principalmente quando alguns não querem que aceitar que não somos mais o centro das atenções. Que não somos mais o centro do universo.

universo1_3

Descobrimos que perante a uma Terra imensa não somos muita coisa e perante a esse universo infinitamente grande somos menos ainda. Tudo é tão imenso que resolvemos olhar para dentro, e encontramos um mundo minúsculo, porém cheio de vida. E quanto mais para dentro, quanto menor mais complicado e mais difícil de ver.

Vemos o macro e o micro e percebemos que a segurança que tinhamos antes nunca mais teremos. A humanidade está crescendo descobrindo novas galáxias, novos planetas quem sabe um dia novos seres. Estamos descobrindo cada vez mais sobre nossas origens e entendendo melhor quem nós somos.

particulas

Seremos sempre insignificantemente únicos, magnificamente simples e parte de tudo isso. Sendo assim somos parte de uma família, que faz parte de uma cidade, que faz parte de um país, que faz parte do planeta Terra, que faz parte do Sistema Solar, que faz parte da Via Láctea, que faz parte do universo, que faz parte de uma coleção de universos. E somos como uma coleção de universos para nossos orgão, nossas células, nossas moléculas, nossos átomos e nossas partículas elementares.

multiversoColocando tudo em números, somos individualmente, constituído por 10 trilhões de células, e mais 90 trilhões de células de microrganismos que vivem em simbiose com o nosso organismo. Temos um número aproximado de 1.76 x 1014 moléculas, sendo que 87% é composto de oxigênio e hidrogênio. E temos no nosso corpo, aproximadamente, 6.71 x 1027 átomos, fonte The Foresight Institute.

Somos, segundo alguns dados do IBGE em junho de 2006, existia 6.800.000.000 de possoas, quase 7 bilhões de pessoas no mundo. De acordo com projeções populacionais, este valor continua a crescer a um ritmo sem precedentes antes do século XX. Aproximadamente um quinto de todos os humanos dos últimos seis mil anos estão vivos actualmente.

Existem entre 200 bilhões e 400 bilhões de estrelas na Via Láctea. Temos nada menos que 100 bilhões de galáxias no universo, quase 100 bilhões de trilhões de estrelas. E quantos universos exitem? Pode chegar ao infinito.

O número, aproximado, de átomos do universo está em torno de 1080. Somos parte disso, somos isso. Somos muito, somos nada, somos tudo, somos o todo.