Anime JP

Treze anos e muito anime, hoje é aniversário do meu filho, João Pedro. Parabéns e aproveite bastante.

Além dos animes, mangas e videogame existem muitas coisas, leia e estude bastante. “Aquele que conhece o inimigo e a si mesmo lutará cem batalhas sem perigo de derrota;para aquele que não conhece o inimigo, mas conhece a si mesmo, as chances para a vitória ou para a derrota serão iguais;aquele que não conhece nem o inimigo e nem a si próprio, será derrotado em todas as batalhas“, trecho do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu.

Eu sou da época de Speed Racer, Akira, Ghost in the Shell e Patrulha Estelar. Já ele gosta de To Love-Ru, Love Hina, Ranma ½, Negima! e muitos outros. Em comum temos Hikaru no Go, Soul Eater e Major.

Ele está crescendo, e está gostando desse tipo de desenho, veja abaixo. Tem bom gosto ele, não? A mãe que pensa como a Helen Rowland, jornalista e humorista americana: “Uma mulher leva vinte anos para fazer do seu filho um homem – outra mulher, vinte minutos para fazer dele um tolo.

Liquidificador

Liquidificador, segundo a Wikipédia – um utensílio culinário eléctrico que serve para transformar em puré uma grande variedade de alimentos. E para traçar um paralelo com o liquidificador, meu post de hoje, vai fazer uma sopa do que está acontecendo no momento.

O Carnaval acabou, para alguns. Agora começa o ano realmente, e eu vou tentar manter uma regularidade de no blog. Bom, minha mãe está dizendo que eu não tenho escrito nada. Vou liquidificar meus pensamentos em textos, e contar o que eu tenho visto de novo.

Começo contando que a Editora JBCHikaru no Go. Em resumo, o mangá conta a história do garoto Hikaru que encontra um tabuleiro de Go de seu avô que possui um espírito que o ajuda no jogo.

Para quem desconhece, Go é um jogo de tabuleiro que teve origem na China há cerca de 4.000 anos. A sua introdução no Japão data de mais de 1.300 anos. Durante este período, a antiga forma do Go foi modificada e aperfeiçoada pelos japoneses.

O mangá foi publicado entre 1999 e 2003 no Japão, sendo que o roteiro é de Yumi Hotta e os desenhos de Takeshi Obata (desenhista de Death Note e Bakuman). A série durou 23 volumes e ganhou um animê de 75 episódios, que foi exibido entre 2001 e 2003.

Existe uma passagem que está no segundo volume, onde Hikaru explica como imagina o jogo. Como se o tabuleiro fosse o universo e as pedras cada qual posta no tabuleiro seriam estrelas. As pedras, pretas e brancas montam um céu diferente a cada jogada e cada jogo.

Por falar em Universo a revista Scentific American Brasil, neste mês, está falando de Multiverso, assunto que eu já escrivi aqui, no blog. E para entender melhor sobre esse universos múltiplos ou multiverso leia também meu post, Dimesões.

E a Scentific American Brasil está com uma edição especial, chamada: De que é feito o Universo? Falando dos projetos e dos avanços que pesquisadores de diferentes áreas estão desenvolvendo para desvendar os mistérios da recriação da matéria, dos mensageiros cósmicos e da gravitação. Fala também sobre o Grande Colisor de Hádrons (LHC), que produzirá energia dez vezes mais alta que aceleradores anteriores, poderá nos ajudar a encontrar a partícula Higgs, ou melhor bóson de Higgs, e discuti as consequências teóricas de sua existência.

Retrospectiva 2009

Tudo bem que já estamos em 2010, mas eu quero começar o ano lembrando das boas notícias do ano passado para que esse ano seja tão bom quando e de preferência melhor o ano passado.

O fu2re nasceu em abril de 2009 citando Sun Tzu e sua obra A arte da guerra. Coloquei, no menu lateral, links para vários assuntos como divisões por categoria (Divisões); os links para outras páginas do blog que falam de vários assuntos, mas principalmente sobre nosso sistema solar (Possibilidades); links de outros blogs e outros sites (Recomendações e Conexões); e a nuvem de tags (Nuvem).

Nesse mês escrevi sobre de Matemática, falei de Números; escrevi sobre Go, um jogo milenar muito interessante e intrigante; falei do meu PSP; escrevi sobre Jogos brasileiros; e como foi aniversário do Meu Pai, falei sobre ele.

onda_002

Em maio, falei bastante de Jornada nas Estrelas, falei da série Original, e de todas as outras séries; escrevi sobre Astronomia, um exemplo foi a NGC 7293 – Nebulosa Helix; falei e continuo falando dos Meus Livros; falei sobre o Infinito, sobre o Átomo, sobre o Multiverso, e sobre o que Não existe; falei sobre a Luz; escrevi sobre grandes artistas; falei de mais jogos, Homeworld, e ainda tirei Onda; e falei do meu Filho, pois foi aniversário dele.

Já em junho, falei de Entrelaçamento quântico; escrevi sobre Arquitetura, falei sobre Dimensões; falei sobre Meus Livros, afinal são muitos livros; escrevi sobre o Neurônio e falei de Filosofia; mostrei meus Desenhos.

Foi um mês cheio de posts. Escrevi sobre o Tesla; fui assistir a Star Trek; escrevi sobre o Elementar, o Eterno e o Nada; e falei da minha mulher, Dan, pois foi seu aniversário.

No mês de julho, não foi diferente, escrevi sobre Bolhas de sabão no espaço, falei sobre Minhas músicas; recordamos a viagem do homem à Lua – Moonshot; falei sobre mais dos Meus Livros; sobre Coca-Cola e Hidrogênio; e mostrei mais Desenhos.

Em Agosto, fui mais calado, falei pouco. Falei sobre os Meus Livros, sobre o Dia dos Pais e sobre Curiosidades em geral; e falei, também, sobre Beisebol, um esporte que eu gosto muito, mas é pouco conhecido por aqui.

Setembro foi um mês com mais posts sobre beisebol, postei um vídeo mostrando como são feitas as bolas. Falei sobre a Física do Beisebol; escrevi sobre Idéias e invenções; falei sobre o futuro, sobre a Tecnologia e falei sobre os Raios;  escrevi sobre Final Fantasy, mais que uma série de jogos.

cerveja_003

Depois de ver essa imagem, fica claro que o mês de Outubro foi o mês da Cerveja. Um mês de mais beisebol, com vários vídeos mostrando com são feitos os tacos e as luvas. Falei de Astronomia – Galáxia do Rodamoinho;  falei sobre mais Idéias; escrevi sobre Filosofia e Física, em Somos Partículas; falei sobre o Grande Colisor de Hádrons, falei sobre Marte e Sandman; escrevi sobre a vitória do Rio como a cidade das Olímpiadas de 2014, em o Rio Olímpico.

Novembro, mês do meu aniversário, falei sobre vários assuntos Astronomia, Física, Filosofia, História, Literatura, Matemática e Música; escrevi sobre a Memória; e falei sobre o Nano, micro, tudo muito pequeno.

O ano foi chegando ao fim e já estamos em Dezembro. Um mês de muitas festas, a vitória do Flamengo, somos Hexa. Falei do nosso Sistema Solar; e fechei o anos falando do Googolplexianth.

Foi um ano muito divertido e eu gostei muito, quero aproveitar o que houve de melhor no ano passado e fazer outras ainda melhores.

Memória

A idade vai avançando e a preocupação vai aumentando. Pensando de uma maneira menos materialista a melhor coisa que podemos acumular durante os anos de vida é o conhecimento e a sabedoria. Infelizmente, com a idade a memória pode falhar, nos deixar na mão. E eu não quero passar por isso.

Segundo a fonoaudióloga Ana Alvarez, autora de “DEU UM BRANCO“, com a idade “começamos a ter uma perda da capacidade dos órgãos de sentidos“. “As funções cognitivas perdem velocidade, o processo neural começa a não ser como antes. Mas isso pode ser revertido: é possível criar novas conexões neurais com exercícios específicos e medidas como garantir a qualidade do sono“.

O cérebro é um órgão plástico. Se você o faz trabalhar, criam-se novas conexões neuronais. Isso aumenta a reserva cognitiva do indivíduo, incluindo a memória“, diz Katia Osternack, neuropsicóloga e professora da Universidade Anhembi Morumbi. Osternack afirma que, a partir dos 40 anos, já é esperada uma perda sutil da memória, mas medidas de prevenção podem mudar esse curso.

neuronio

Existem soluções que podem ajudar a evitar esses problemas. Por exemplo, é possível treinar a memória para melhorar o desempenho. O trabalho intelectual “criativo” estimula a produção de novos neurônios. Atividades de lazer que envolvem habilidades motoras (como artesanato) ou aspectos intelectuais (como ler livros ou ir ao cinema) levam à criação de novas ligações entre os neurônios.

Uma dica é ler bastante, jogar PSP e jogar Go. Quem não conhece Go deve aprender, hehehe.

A atividade física contribui para o bom funcionamento do sistema circulatório, favorecendo o fluxo de sangue e a oxigenação do cérebro. O desempenho das funções cerebrais está diretamente associado ao fluxo sanguíneo nessa região. Controlar o colesterol, que “entope” os vasos com gordura, e a pressão arterial ajuda a preservar as funções da memória e as cognitivas em geral.

E a dieta rica em ômega-3, encontrado principalmente em peixes de águas geladas, fornece matéria-prima para a produção de novos neurônios.

Como já foi dito que o sono ajuda na consolidação da memória, estímulos recebidos pelo cérebro ao longo do dia se fixam durante o sono. Portanto, dormir menos do que o necessário ou ter pequenos despertares prejudica a memorização. Distúrbios do sono também levam a deficits de atenção nos períodos de vigília; sem atenção, novas informações não são absorvidas.

Certos medicamentos podem dificultar a memorização, assim como o estresse e a depressão prejudicam o desempenho nas tarefas cognitivas.

Seguindo essas dicas podemos guardar por mais tempo e melhor nossas memórias. Continuar mantendo a memória em forma e os neurônios sempre exercitando.

Fonte: Folha Online

Alice

Outro dia falei de Alice, dos livros sobre Alice, em Meus Livros, e não percebi que existia uma analogia que eu poderia usar para explicar o livro ALICE NO PAÍS DO QUANTUM. Aliás o livro é pura analogia, a história original de Alice também é uma analogia, mas em ALICE NO PAÍS DO QUANTUM, o autor faz analogias para explicar algo que é muito difícil e por vez impossível de conceber ou entender.

8571104417Uma das analogias é quando Alice encontra um grupo de operários e eles estendem sobre o canteiro de obra uma planta do que vai ser construído, logo depois eles começam a lançar os tijolos. Ela não entende, mas os tijolos começam a cair aleatóriamente sobre a planta, mas se concentram de tal maneira que começam a formar paredes e das foram ao edifício. Para explicar minha analogia, eu quero pegar a frase que o mestre-de-obras diz para Alice quando ela pergunta porquê os operários estão jogando os tijolos de qualquer maneira. “Ê bem verdade que as flutuações aleatórias ainda são grandes o bastante para esconder o padrão, mas assim que tivermos estabelecido a distribuição de probabilidades para o resultado que precisamos, estaremos conseguindo, não há o que temer.” E depois o mestre-de-obras continua . “Você nos viu estabelecer a distribuição de probabilidades antes de começarmos. É ela que especifica os lugares onde deve haver tijolos e onde não deve. Precisamos lazer isso antes de começar a deitar os tijolos porque não sabemos onde eles vão parar quando os jogarmos, entende?

O autor faz uma analogia com o que acontece no mundo quântico, e eu gostaria de fazer uma analogia com o que acontece no Go. O jogo de Go começa com o tabuleiro vazio, parecido com o que acontece no canteiro de obra, mas quando o jogo começa os jogadores tem estratégias formadas em suas mentes, seriam como a planta que vai dizer mais ou menos aonde as pedras serão colocadas. Quanto mais pedras são colocadas em jogo menores são as possibilidas de variação, menores são as flutuações. No final do jogo as peças obedeceram uma ordem lógica.

Go board

É apenas uma analogia, mas quem não sabe jogar Go terá tanta dificuldade de entender quanto é difícil entender a Mecânica Quântica. E por falar em analogia, no Café com Ciência é possível encontrar algumas Analogias bem interessantes.

The way to Go

Volto a falar de um jogo que eu aprecio muito, o Go, é um dos mais antigos e populares jogos estratégicos de tabuleiro do mundo. Só no Japão, 10 milhões de pessoas jogam Go e, aproximadamente, 400 profissionais passam suas vidas aprofundando e transmitindo seus conhecimentos sobre o jogo e competindo em torneios que oferecem milhões de yens em prêmios.

É a essência da simplicidade e possui ao mesmo tempo o máximo em complexidade. O Go é um jogo fácil de aprender. Você pode dominar as regras em poucos minutos, mas pode levar uma vida inteira explorando sua profundidade e suas entrelinhas. Dominar o Go é agradável, um desafio sem fim.

Go board

Para alguns jogadores, o Go é um modelo de vida. Seus conceitos estratégicos servem como paradigmas na tomada de decisões do dia-a-dia. Veja alguns dos provérbios mais conhecidos e originados a partir do Go, que podem ser ilustrados em quase todos os jogos: “Não ponha todos os seus ovos em uma única cesta“, “Não queime suas pontes atrás de você“, “Olhe antes de pular“, “Não bata a cabeça contra uma parede de pedra” e “Não aposte um dinheiro bom logo após um ruim“.

Em “O CAMINHO PARA O GO“, Karl Baker ensina como jogar Go e diz, “O go é um empreendimento cooperativo. Os jogadores precisam uns dos outros para que possam aproveitar a emoção de um jogo desafiador. A não ser que um jogador ofereça uma boa batalha não há jogo – Nenhuma decepção, mas também nenhuma oportunidade, nenhum risco porém nenhuma recompensa. Tradicionalmente, jogadores de go avaliam seus oponentes; um espírito de respeito e cortesia geralmente acompanham uma partida.

O título em inglês transmite muito mais do que em português, “The way to Go” que pode ser simplesmente, “o caminho para seguir” ou “o caminho para ir“. O título mostra também que existem mais sobre o Go que o simples ato de jogar por jogar.

É um jogo muito interessante e fascinante, para finalizar deixo um frase que sintetiza o Go. “O jogador de go deve preocupar-se menos com o seu adversário e mais com impulsos insensatos e emoções dentro de si próprio“.

Para baixar uma cópia em formato PDF de “The way to Go“, clique aqui e vá para a  American Go Association.

Hikaru No Go

Volto a falar do jogo Go, um jogo milenar que é uma terapia para mim, reflete um esforço pessoal acerca do equilíbrio e harmonia interior, um ideal tanto espiritual quanto prático, um empreendimento cooperativo e o mais importante, é que o Go é um meio de comunicação entre duas pessoas, uma disputa amistosa, ponto-contraponto.

O Go é a essência da simplicidade e possui ao mesmo tempo o máximo em complexidade. Aprender Go é fácil. Dominar o Go é agradável, um desafio sem fim.

hikaru001

Mas este tópico é para falar de um mangá criado no Japão, em 1998 conhecido como Hikaru no Go que serviu para popularizar o jogo entre os jovens. Criado por Yumi Hotta e arte de Takeshi Obata – desenhista de Death Note, o desenho do momento – o mangá se tornou anime, logo depois.

hikaru004O título, Hikaru no Go, que quer dizer literalmente “O Go de Hikaru”, conta a história de Hikaru Shindo, um estudante da sexta série, e suas aventuras no mundo do Go. Hikaru era um garoto normal que ao visitar o sotão do avô, encontra um velho tabuleiro de Go (goban) e acaba libertando um fantasma preso neste tabuleiro. Eu já falei do equipamento de Go.

O fantasma se chama Fujiwara no Sai, um mestre em Go do período Heian, apaixonado pelo Go. Ele é um fantasma porque cometeu suícídio ao perder um jogo para um adversário que robou durante o jogo. Pode parecer simples mas como todo mangá existe um sentimento de levar tudo ao extremo. Faz parte da cultura japonesa.

Na verdade, Sai era um conselheiro do Imperador. Com a chegada desse outro jogador que passou lhe ameaçava o posto de conselheiro de Go do Imperador e que o desafiou para ver quem seria o melhor no Go. Sai era um dos melhores jogadores de Go que já existiu, mas perdeu por causa de uma pedra roubada pelo adversário. Após o suicídio Sai não consegue descansar em paz, pois tinha um objetivo atingir a Mão de Deus (Kammi no itte), e seu espírito acabou ficando preso no tabuleiro de Go.

hikaru005Antes de aparecer para Hikaru, o fantasma de Sai havia aparecido, séculos antes, para nada mais, nada menos que Torajiro – Honinbou Shuusaku que um dos maiores jogadores que existiu no Japão – e lhe ensinou tudo que sabia.

Sai vai tentar fazer com que Hikaru o satisfaça fazendo-o jogar por ele. Assim começam as aventuras desses dois personagens que os levaram a conhecer novos amigos e grandes adversários. Um deles será o maior rival de todos, Akira Touya. Akira irá fazer com que Hikaru queria ser tão bom quanto ou talvez melhor que ele.

Durante toda a história da evolução de Hikaru no jogo de Go, e da “rivalidade-amizade” entre Hikaru e Akira. Hikaru conhecerá pessoas interessantes e divertidas, lugares bonitos e históricos, entrará em encrencas e participará de torneios. Por fim, Hikaru irá crescer, será responsável e amante do Go.

Tanto o mangá quanto o anime são recheados de referências históricas, jogos reais, dicas e tudo que este estilo de histórias em quadrinho tem direito. Para quem quiser assistir ao anime pode encontrá-lo no animescenter.com. Vale muito a pena.

hikaru003