Ingress

Acabei de receber o código de acesso ao novo jogo da Google. O Jogo que ainda está na fase beta, mistura realidade com ficção e faz jogadores irem até lugares reais. Criado pela NianticLabs@Google, lançado para dispositivos Android.

O enredo é o seguinte. Um time de cientistas na Europa descobriu uma misteriosa energia emanando em vários pontos de todo o planeta. Apesar de analisarem o acontecimento com cuidado, ninguém, de fato, sabe qual é o propósito dessa força. Muitos, porém, acreditam que ela está controlando a nossa maneira de pensar. E agora, será que não devemos tomar as rédeas dessa energia antes que ela passe a comandar o nosso planeta?

Escolha seu lado. Juntando-se ao “Iluminados” (Enlightened, representados em verde), você abraça as forças que lutam pela energia. “Uma tentativa de ajudar os Shapers infiltrar Terra. Seguidores acreditam que os Shapers trazer uma iluminação poderosa que vai levantar a humanidade“. Já entrando para a “Resistência” (Resistence, representados em azul), você vai compor o time que fará de tudo para ir contra esse misterioso poder. “Defendendo a Terra do ingresso do Shapers. Eles são vistos por alguns como sendo o medo de mudança ou do progresso, mas a resistência é firme em sua crença de que estão protegendo a humanidade“.

EnlightenedEu escolhi jogar junto do Enlightened. Mais porquê, o time está em menor número e será mais desafiador. Achei muito divertido. A Jogabilidade funciona da seguinte maneira, utilizando o aplicativo em um celular – de preferência, pois é necessário ter o GPS ligado – é apresentada um mapa que representa as áreas próximas, na verdade o jogo funciona em cima do Google Maps. O mapa tem um fundo preto onde as ruas e os edifícios são representados em cinza, mas não nomeado. Visíveis no mapa estão os portais, a matéria exótica (Exotic Matter, XM), os ressonadores (Resonators), os links e os campos de controle.

Para interagir com os objetos no mapa, o jogador deve estar fisicamente próximo da localização do objeto. O jogo representa o jogador como um pequeno triângulo, rodeada por um círculo que representa o perímetro dentro do qual a interação é possível. O jogo ainda conta com uma sonoplatia e efeitos interessantes, dignos de qualquer filme de ficção científica.

Então saia e vá atrás dos portais, mas por enquanto, o Ingress ainda se encontra em fase de testes, como eu disse antes. Para pode jogar, você precisa baixá-lo para o seu dispositivo, clicando aqui. Além disso, é necessário cadastrar o seu e-mail no site oficial do jogo, Ingress e aguardar o convite da empresa.

Projeto Glass

A Google apresentou hoje os primeiros conceitos de seu óculos de realidade aumentada, por enquanto batizado de Project Glass.

A idéia é criar um aparelho fino e leve, que possa ser usado como se fosse um óculos normal mas que projete sobre a visão do usuário informações relevantes sobre o que está acontecendo ao seu redor.

Por enquanto o Project Glass, como o próprio nome já diz, é um projeto, e não um produto, mas funcionários da Google começarão a testar os óculos em público “em breve“. Especulações levam a crer que os óculos poderão custar “o equivalente a um smartphone moderno“, ou seja, entre US$ 250 e US$ 600, e podem estar disponíveis no mercado já no final de 2012.

Android

Meu celular – o Samsung Galaxy S – utiliza um sistema operacional móvel que roda sobre o núcleo Linux, o Android. Que foi inicialmente desenvolvido pela Google. O Android permite aos desenvolvedores escreverem software na linguagem de programação Java controlando o dispositivo via bibliotecas desenvolvidas pela Google. Existem atualmente mais de 100 mil aplicações disponíveis para Android. O sistema Android consiste em 12 milhões de linhas de código, incluindo 3 milhões em XML, 2.8 milhões de linhas na linguagem C, 2.1 milhões de linhas de código Java e 1.75 milhões de linhas de código em C++.

Além do sistema ser muito bom e o celular ter vários sensores, os aplicativos criados no Android conseguem fazer quase tudo. Por exemplo, consigo gravar minhas ligações, consigo me localizar, saber qual foi o meu trajeto – por onde andei, consigo acessar e controlar computadores pelo celular, enviar e-mails, acessar as redes sociais, ler e escrever documentos, planilhas, powerpoints e outras mídias. Além de fazer ligações, é ele serve para realizar e receber chamadas. 🙂

Cada dia surgem novos aplicativos, no momento temos 200 mil aplicativos no Android Market, e a maioria deles são gratúitos. Desde realidade aumentada a medir objetos a distância. De jogos casuais, jogos divertidos e inteligentes a ler código de barra, traduzir placas e letreiros em qualquer idioma. Reconhecer a música que está tocando a executar comandos interpretando frases faladas pelo usuário – uma evolução ao comando de voz.

Mais números sobre o Android: 100 milhões de ativações, com 400 mil ativações diárias, 4,5 bilhões de aplicativos baixados e finalmente anunciado o Google Music e agora o Android Market, além de já ser um recanto de livros, contará com a opção de alugar filmes, mas por enquanto apenas para os Estados Unidos.

Para ficar por dentro do assunto visite estes sites:

  • Android (em inglês)
  • Android Market
  • Brasil Droid
  • Eu Android
  • Diário do Android
  • Portal Android
  • Googolplexianth

    Pense em um número grande, Googol, pense em um número maior, Googolplex. Agora pense em um número maior ainda, Googolplexianth. Vem a pergunta: Google vem de Googol? Sim, vem da expressão googol, que é o número 10100, ou seja, o dígito 1 seguido de cem zeros. Os criadores do site de busca queriam demonstrar assim a imensidão da Web.

    Uma das maiores empresas da internet, a Google é uma empresa desenvolvedora de serviços online. Fundada em 1998, mas que já tinha serviço Google Search, hoje o site de busca mais usado no mundo desde 1996.

    O Google, hoje, fornece dezenas de outros serviços online, em sua maioria gratuitos. Eu utilizo muito o Gmail, o site de busca e o Google Reader. Os outros serviços incluem edição e compartilhamento de documentos e planilhas, análise de sites, rede social, comunicação instantânea, tradução, compartilhamento de fotos e vídeos, entre outros; assim como ferramentas de pesquisa especializada, que inclui, entre outras coisas, notícias, imagens, vídeos e artigos acadêmicos.

    A maior parte das receitas da Google provêm do serviço Google AdSense, que é voltado para a publicidade online, por meio de links patrocinados.

    Em 2008 a empresa lançou sua plataforma para celulares inteligentes, o Android. Um ano depois ela introduziu a primeira versão de seu sistema operacional baseado na web Chrome OS.

    Aqui acaba a História e vem a Matemática. Para se ter idéia do tamanho desse número, desde o surgimento da Terra, há aproximadamente 4,5 bilhões de anos, ainda não se passaram um googol de segundos, nem um googol de milésimos de segundos, na verdade não é nem perto disso, se passaram “apenas” aproximadamente 1017 milissegundos. E o Universo tem 13,7 bilhões de anos e mesmo assim tem apenas 1017 segundos ou aproximadamente 1023 milissegundos.

    Fica mais interessante quando se tenta imaginá-lo espacialmente. Um polígono com um googol de lados, chama-se Googólgono. Porque se for regular, para todos os efeitos, tal figura seria praticamente um círculo. Também pode ser considerada quase uma reta.

    Entenda porque: se os lados de um googólgono regular tivessem o mesmo comprimento do raio de um próton (aproximadamente 0,8 × 10−15 m, ou 0,8 fentometros), o raio do polígono seria de aprox. 1,27 × 1084 m, e sua área de 5,09 × 10168 m².

    Para se ter uma idéia da ordem de grandeza desta figura, o diâmetro do Sol é de 1,39 × 109 m, e o comprimento estimado do universo visível (distância percorrida pela luz desde o Big Bang) é de 1,29 × 1026 m, ou 13,7 bilhões de anos-luz. Em relação à área, o disco da Via Láctea tem uma superfície de cerca de 7 × 1041 m².

    Na prática o googol não tem nenhuma utilidade. E voltando a História, em 1938, o matemático Edward Kasner, da Universidade da Columbia, pediu ao seu sobrinho, então com oito anos, que inventasse um nome para dar a um número muito grande. Um número muito grande, mas não infinito. Então Kasner apresentou o googol em seu livro “MATEMÁTICA E IMAGINAÇÃO“. Mais tarde, ele definiu um número ainda maior: o googolplex.

    O googolplex é ainda mais inútil matematicamente falando. Um googolplex é dez elevado a um googol. Escrever um googolplex é impossível. Mesmo que se transformasse toda a matéria existente no Universo em tinta de papel não teríamos ainda material suficiente para escrever todos os zeros que o compõem.

    Não satisfeito, inventaram o googolplexian, que é dez elevado a um googolplex. E seguiram com a criação de nomes para números maiores ainda, e inventaram o googolplexianth, que é dez elevado a um googolplexian.

    E felizmente pararam por aí. E eu vou parando por aqui, porque eu já me perdi no tamanho do googol.