Para Falar de Nada

Acabei de ler um artigo na Folha de São Paulo, do físico Marcelo Gleiser, A morte do Nada. Gosto muito da sua coluna.

Gleiser comenta o fim do Nada, um assunto que eu mesmo já abordei em Nada e Nada de novo. O Nada que o Gleiser aborda é o Nada “real“, ou o vácuo completo. Mas nada continua existindo em outras esferas de realidade, em pensamentos, conceitualmente. Até o fim.

Mas a grande questão é: Exite o fim? Porque o início todos dizem que foi o Big Bang, ou foi Deus quem fez. Mas e antes disso o que era? Nada? Ou realmente o início não existiu? Se não teve início não existe fim. Temos apenas conceito de início e fim, tudo e nada. Somos apenas um conceito? Existimos realmente? Física, Religião, Filosofia. Nada explica isso. Ou melhor: Nada explica isso!!!

Anúncios

Meus Livros

Frodo lendo

Hoje vou falar dos meu livros do autor Marcelo Gleiser, físico, astrônomo, professor, escritor e roteirista. Eu já contei sobre alguns livros dele e que eu já tinha, mas comprei mais dois para minha coleção. Não foram comprados recentemente, como eu não falei sobre eles ainda…

O primeiro foi o livro CRIAÇÃO IMPERFEITA – Cosmo, Vida e o Código Oculto da Natureza, do Marcelo Gleiser. O lançamento foi na Casa do Saber – há quatro meses atrás – onde teve uma apresentado com o Marcelo. No seu novo livro, Gleiser, um dos grandes cientistas da atualidade, desmonta o maior mito da ciência e da filosofia ocidentais: o de que a Natureza é regida pela perfeição. O físico brasileiro radicado nos EUA também contesta o discurso dos ateístas radicais, como Richard Dawkins, mostrando que a ciência não prova a inexistência de Deus.

Antes do lançamento, eu já tinha comprado outro livro dele o MUNDOS INVISÍVEIS – Da Alquimia À Física de Partículas. Um livro super interessante, onde o autor analisa os fenômenos físicos do micro para o macro, partindo das subpartículas do átomo para desvendar o universo.

Para explicar tudo isto, Gleiser parte da simples pergunta: “Do que tudo é feito?“. Logo nas primeiras páginas, o escritor nos apresenta a frase “O essencial é invisível aos olhos” – que eu já cite antes em Peiote – de Antoine de Saint-Exupéry, sugerindo a idéia de que geralmente não prestamos muita atenção naquilo que está ao nosso redor. Posteriormente, ele explica ao leitor como a partir da simples observação de um fenômeno natural, ou de algo que intrigava as pessoas, foi possível chegar às principais descobertas do conhecimento.

Sobre a minha coleção, tem um post que eu escrevi sobre esses livros, Meu Livros. Agora, a coleção conta com MACRO MICRO 2, A HARMONIA DO MUNDO, O FIM DA TERRA E DO CÉU e POEIRA DAS ESTRELAS, além dos dois acima.