Final Fantasy IV

Final Fantasy IV - Main Image

Final Fantasy IV, é um marco na franquia da Square-Enix por ser o primeiro a apresentar muitas das características atuais de jogos de RPG, incluindo todo o conceito de narrativa dramática em um RPG. Tendo sido lançado em 1991, no Japão, o jogo conta a história do protagonista do jogo é Cecil (no outro jogo de PSP, Dissidia: Final Fantasy, ele era muito ruim de jogar), um cavaleiro negro.

Apresentei o jogo para falar da versão para Android. Final Fantasy IV é certamente uma versão melhor do que Final Fantasy III – que eu gostei bastante. Vem com a versão original em japonês, opção de textos em português (pela primeira vez) cenas extras, texturas e efeitos de resolução um pouco melhor em algumas áreas. Ainda se parece com um jogo de DS, com personagens dos jogadores notoriamente em blocos e texturas em todos os heróis, mas isso não impede que seja uma experiência fantástica.

Graficamente Final Fantasy IV não faz uso da atual arquitetura móvel, como dito antes. No entanto, é quase perfeito, com a tela aproveitando toda a tela na sua maior resolução. Cidades, personagens, armaduras e armas são todas variadas. As coisas parecem muito em blocos, mas não há um momento em que necessariamente quebre de imersão.

O áudio também tem uma estética retro sem ser exagerado. Toda a música é gravada eletronicamente, típico de qualquer jogo de Final Fantasy antes dos novos consoles. Itens, magias, combates, cidades, e o mundo do jogo, todos têm os seus próprios sons e temas.

Screenshot_FFIV_2

O sistema de batalha é mais complicado que o III. É do tipo ame-o ou odei-o, não há seleção de “jobs” para os personagens, mas que faz sentido do ponto de vista narrativo, porque a história leva à mudanças estratégicas que mantem as coisas interessantes.

Final Fantasy IV continua a ser um dos jogos mais tático da série, em quase nenhuma das batalhas será possível sair sem tomar dano. Para enfrentar todos os chefes será necessário descobrir como matá-los – quais são os seus pontos fracos, ou em que ordem deverá eliminá-los. O jogo é certamente difícil, mas não é injusto.

Não há nenhum outro RPG no mercado que rivalize com Final Fantasy IV pela qualidade ou conteúdo, e com mais de 20 horas para a conclusão, vale cada centavo. É viciante, charmoso e me faz lembrar por que Final Fantasy é considerado uma das melhores séries de todos os tempos.

Monster Hunter

Monster Hunter (vale a pena entrar no site, tem um caçador muito engraçado) é uma franquia de sucesso, uma série de videogames de fantasia que se iniciou com o jogo de mesmo nome para Playstation 2. A série é desenvolvida e publicada pela Capcom.

A série se ramificou em jogos de Playstation Portable, no caso o meu PSP, e um massively multiplayer online game. No Japão, a série Monster Hunter é imensamente popular, com a versão Monster Hunter Freedom (conhecido no Japão como Monster Hunter Portable) e suas sequências, Monster Hunter Freedom 2/Monster Hunter Portable 2 e Monster Hunter Freedom Unite/Monster Hunter Portable 2G vendendo milhões de cópias, e Monster Hunter Tri se tornando o mais vendido jogo de terceiros para Wii no Japão. Existem versões para PC e Xbox, além dos já citados para PSP e PS2.

Como o título sugere, o jogador assume o papel de um caçador de monstros de uma tribo não muito avançada, em um ambiente de fantasia, um mundo repleto de dragões, Wyverns, e outras criaturas gigantes, sua missão é proteger a vila dessas criaturas, caça-las e buscar por matéria prima para criação de todo tipo de equipamento ou item. O enredo é inexistente, mas o ambiente é bem feito, os monstros também.

O ponto mais interessante de Monster Hunter é que você não evolui atributos como num RPG, quem evolui é você com sua experiencia de jogo e para melhorar seu ataque e defesa você tem matar monstros mais fortes e a partir do seu couro, escamas e etc, fazer armas e equipamentos melhores. Existem várias formas de evoluir o personagem e faz com que o jogador procure por muitos materiais para melhorar suas armaduras e suas armas.

Eu mesmo já gastei muito tempo para melhorar minhas armas e armaduras, tenho que ficar muito tempo buscando itens como minério, insetos, plantas, peixes, ossos, partes de monstros, etc. E ainda estou jogando o Monster Hunter Freedom, o primeiro jogo para PSP. E para quem está começando qualquer versão da franquia deve consultar o Monster Hunter Wiki, lá tem tudo, muita informação.

Num mundo habitado por monstros selvagens e criaturas terríveis, os maiores heróis são aqueles que reúnem coragem suficiente para proteger o seu povo. Os Caçadores de Monstros podem reclamar grandes recompensas e elogios pelo seu sacrifício – pelo menos enquanto permanecem vivos, é óbvio!

Olha os monstros, dragões e outras criaturas que temos que enfrentar no mundo de Monster Hunter.

O modo multijogador online é muito maneiro e abre caminho a demandas e inimigos únicos. Ligando-se a rede, utilizando o PSP, podem jogar até quatro (4) jogadores ao mesmo tempo. Trabalhar em equipe e construir armadilhas letais para os monstros mais perigosos ou distrair uma besta titânica enquanto um colega de equipe rouba os seus preciosos ovos são algumas estratégias necessárias.

God of War: Chains of Olympus

Mais um jogo de PSP, God of War: Chains of Olympus é o terceiro título cronológico da série de jogos eletrônicos God of War. O jogo é ação e aventura em terceira pessoa com eventos em tempo rápido, baseado em quebra-cabeças e lutas contra chefes. Outro grande título para o Playstation Portátil.

Como o jogo é bem antigo e é muito bom – vale a pena jogar – vou contar a história do jogo. Tudo começa enquanto Kratos serve aos deuses, sendo enviado para Attica para ajudar a defender a cidade do exército de invasores persas. Após matar o rei persa, muitos de seus soldados e seu monstro de estimação o Basilisk, Kratos observa a queda Sol no céu, mergulhando o mundo em trevas. Kratos luta contra todos em seu caminho na cidade de Marathon na névoa preta de Morpheus, que agora deixa a Terra na escuridão.

Kratos segue para o templo de Hélios e é encarregado pela deusa Athena de encontrar Hélios, o deus sol. Morpheus aproveitou a ausência de Hélios para fez os outros deuses caíssem em um sono profundo. Nosso herói luta incessantemente para salvar o deus sol do titã Atlas, que o raptou. Para isso, recupera o fogo primordial necessário para despertar o fogo cavalos de Hélios, e tem dois encontros com Caronte no rio Estige. Apesar de inicialmente, o vilão derrotar e expulsá-lo de Tártaro, Kratos retorna e destrói Caronte.

Ao encontrar o templo de Perséfone, a rainha do submundo, a Kratos é dada uma escolha – renunciar a seu poder e ficar com sua filha falecida, Calliope, a um alto custo para a humanidade, ou prosseguir com sua missão. Kratos sacrifíca suas armas e seu poder, mas descobre que Perséfone está amargurada por ter sido traída por Zeus e sendo obrigada a permanecer no submundo com seu marido Hades.

Enquanto Kratos estava se tornando um homem mortal mais uma vez, Perséfone aliada ao titã Atlas estava usando o poder de Hélios para destruir o pilar que sustenta o mundo, que também acabaria com o Olímpo. Forçado a abandonar sua filha, Calliope, nosso herói tem de volta seu poder, após ligar Atlas ao pilar que ele tentou destruir (forçando o titã agora segurar o peso do mundo sobre os ombros), e mata Perséfone em combate. Antes de partir, Kratos é avisado por Atlas de que ele se arrependerá de ajudar os deuses.

Montando a carruagem de Hélios volta para o céu e vê o retorno do sol, Kratos então perde a consciência pelo esforço e cai. Kratos, no entanto, é salvo por Athena e Hélios, que retornam ao Olímpo.

Cercado de videos incríveis, cenários sensacionais, monstros sinistros, armas poderosas e muitos inimigos o jogo é muito divertido e gostoso de jogar.

Para o ano que vem, a Sony anunciou o retorno de Kratos ao PSP. God of War: Ghost of Sparta está sendo desenvolvido pela Ready at Dawn, mesma equipe que produziu o ótimo God of War: Chains of Olympus para o console.

Segundo a empresa, o título levará o PSP aos seus limites gráficos e tecnológicos. O jogo será 25% maior que o primeiro e terá poderes e armamentos inéditos.

A trama será posicionada imediatamente após os eventos do primeiro God of War e mostrará a ascensão de Kratos como o Deus da Guerra. A história revelará como o personagem ganhou suas cicatrizes, sua tatuagem e também contará fatos sobre a família do Fantasma de Esparta.

Star Wars: The Force Unleashed

O assunto agora é PSP, uma distração para o estresse do dia-a-dia. Estou jogando Star Wars The Force Unleashed, um grande título para o Playstation Portátil.

É um jogo onde você encarna um garoto que tem o pai – um Jedi – morto por nada menos que Dart Vader. Esse garoto se torna o aprendiz do Lord Vader. A história do jogo se passa entre os Episódios III e IV, embora muito mais perto da linha do tempo para Uma Nova Esperança do que para A Vingança do Sith. É difícil falar sobre exatamente por isso sem estragar nada, mas vou apenas dizer que a história do jogo faz um trabalho muito bom de vincular as duas trilogias e define muito bem o estado atual de tudo o que você vê em Uma Nova Esperança. A elaboração da história não só amplia a ficção, mas ligeiramente extende-se sobre o conteúdo existente.

The Force Unleashed foi feito para que os jogadores tenham a possibilidade de, como o nome implica perfeitamente, desencadear a força. Esta é uma versão da força que realmente não tem sido vista antes em qualquer outro lugar. Quando você vai empurrar um stormtrooper para longe de você, ele não só vai cair, ele vai voar. Você pode atirar os soldados sobre caças TIE, você vai poder lutar contra Jedis, lutar contra monstros ou apunhalar alguém com um sabre de luz.

Os modos exclusivos para PSP são muito maneiros, principalmente, porque eu gosto de um bom desafio, e porque é mais divertido do que o modo história. Existem vários cenários onde se pode participar das famosas batalhas do universo de Star Wars. Como Anakin Skywalker, você vai lutar contra o Conde Dooku enquanto Imperador te observa. Como Vader, você dará a golpes em Luke Skywalker antes de contar que é seu pai. Estas missões, e outras, são batalhas do tipo para vencer o chefão, mas no meio da batalha existem recriações de cenas bem conhecidas que as tornam mais dramáticas. Outros cenários fictícios deixam você escolher um personagem e destruir uma série de Jedis, um após o outro, ou se defender contra as ondas de inimigos. Ainda é possível encontrar batalhas, por exemplo, onde você deve derrotar capangas de Jabba e Boba Fett, evitando a boca faminta do Sarlacc.

O visual e som são bem feitos e nos faz sentir dentro do universo de Star Wars. Os ambientes são bem detalhados, as ação com o sabre de luz e os poderosos golpes da Força e outros efeitos especiais são muito maneiros.

O multiplayer agrega mais valor ao jogo, é uma boa diversão, permitindo que você lute, corte ou arremesse até outros três participantes. Existem variações do jogos como Deathmatch e King of the Hill – nada inovador, mas é uma mudança agradável que faz com que esta versão de Star Wars: The Force Unleashed seja a mais rica em recursos.

Ainda esse ano – final de outubro – vai sair Star Wars: The Force Unleashed II, e promete muito. Os videos sobre o jogo estão sensacionais, mas até agora não existe nada confirmando se sairá uma versão para PSP – o que é uma lástima. Para visitar a página oficial clique em LucasArts.com | Star Wars: The Force Unleashed 2 e para assistir aos videos clique em Star Wars The Force Unleashed 2 World Premiere Trailer e Star Wars The Force Unleashed 2: E3 2010 Exclusive Betrayal Cinematic Trailer.

Retrospectiva 2009

Tudo bem que já estamos em 2010, mas eu quero começar o ano lembrando das boas notícias do ano passado para que esse ano seja tão bom quando e de preferência melhor o ano passado.

O fu2re nasceu em abril de 2009 citando Sun Tzu e sua obra A arte da guerra. Coloquei, no menu lateral, links para vários assuntos como divisões por categoria (Divisões); os links para outras páginas do blog que falam de vários assuntos, mas principalmente sobre nosso sistema solar (Possibilidades); links de outros blogs e outros sites (Recomendações e Conexões); e a nuvem de tags (Nuvem).

Nesse mês escrevi sobre de Matemática, falei de Números; escrevi sobre Go, um jogo milenar muito interessante e intrigante; falei do meu PSP; escrevi sobre Jogos brasileiros; e como foi aniversário do Meu Pai, falei sobre ele.

onda_002

Em maio, falei bastante de Jornada nas Estrelas, falei da série Original, e de todas as outras séries; escrevi sobre Astronomia, um exemplo foi a NGC 7293 – Nebulosa Helix; falei e continuo falando dos Meus Livros; falei sobre o Infinito, sobre o Átomo, sobre o Multiverso, e sobre o que Não existe; falei sobre a Luz; escrevi sobre grandes artistas; falei de mais jogos, Homeworld, e ainda tirei Onda; e falei do meu Filho, pois foi aniversário dele.

Já em junho, falei de Entrelaçamento quântico; escrevi sobre Arquitetura, falei sobre Dimensões; falei sobre Meus Livros, afinal são muitos livros; escrevi sobre o Neurônio e falei de Filosofia; mostrei meus Desenhos.

Foi um mês cheio de posts. Escrevi sobre o Tesla; fui assistir a Star Trek; escrevi sobre o Elementar, o Eterno e o Nada; e falei da minha mulher, Dan, pois foi seu aniversário.

No mês de julho, não foi diferente, escrevi sobre Bolhas de sabão no espaço, falei sobre Minhas músicas; recordamos a viagem do homem à Lua – Moonshot; falei sobre mais dos Meus Livros; sobre Coca-Cola e Hidrogênio; e mostrei mais Desenhos.

Em Agosto, fui mais calado, falei pouco. Falei sobre os Meus Livros, sobre o Dia dos Pais e sobre Curiosidades em geral; e falei, também, sobre Beisebol, um esporte que eu gosto muito, mas é pouco conhecido por aqui.

Setembro foi um mês com mais posts sobre beisebol, postei um vídeo mostrando como são feitas as bolas. Falei sobre a Física do Beisebol; escrevi sobre Idéias e invenções; falei sobre o futuro, sobre a Tecnologia e falei sobre os Raios;  escrevi sobre Final Fantasy, mais que uma série de jogos.

cerveja_003

Depois de ver essa imagem, fica claro que o mês de Outubro foi o mês da Cerveja. Um mês de mais beisebol, com vários vídeos mostrando com são feitos os tacos e as luvas. Falei de Astronomia – Galáxia do Rodamoinho;  falei sobre mais Idéias; escrevi sobre Filosofia e Física, em Somos Partículas; falei sobre o Grande Colisor de Hádrons, falei sobre Marte e Sandman; escrevi sobre a vitória do Rio como a cidade das Olímpiadas de 2014, em o Rio Olímpico.

Novembro, mês do meu aniversário, falei sobre vários assuntos Astronomia, Física, Filosofia, História, Literatura, Matemática e Música; escrevi sobre a Memória; e falei sobre o Nano, micro, tudo muito pequeno.

O ano foi chegando ao fim e já estamos em Dezembro. Um mês de muitas festas, a vitória do Flamengo, somos Hexa. Falei do nosso Sistema Solar; e fechei o anos falando do Googolplexianth.

Foi um ano muito divertido e eu gostei muito, quero aproveitar o que houve de melhor no ano passado e fazer outras ainda melhores.

Memória

A idade vai avançando e a preocupação vai aumentando. Pensando de uma maneira menos materialista a melhor coisa que podemos acumular durante os anos de vida é o conhecimento e a sabedoria. Infelizmente, com a idade a memória pode falhar, nos deixar na mão. E eu não quero passar por isso.

Segundo a fonoaudióloga Ana Alvarez, autora de “DEU UM BRANCO“, com a idade “começamos a ter uma perda da capacidade dos órgãos de sentidos“. “As funções cognitivas perdem velocidade, o processo neural começa a não ser como antes. Mas isso pode ser revertido: é possível criar novas conexões neurais com exercícios específicos e medidas como garantir a qualidade do sono“.

O cérebro é um órgão plástico. Se você o faz trabalhar, criam-se novas conexões neuronais. Isso aumenta a reserva cognitiva do indivíduo, incluindo a memória“, diz Katia Osternack, neuropsicóloga e professora da Universidade Anhembi Morumbi. Osternack afirma que, a partir dos 40 anos, já é esperada uma perda sutil da memória, mas medidas de prevenção podem mudar esse curso.

neuronio

Existem soluções que podem ajudar a evitar esses problemas. Por exemplo, é possível treinar a memória para melhorar o desempenho. O trabalho intelectual “criativo” estimula a produção de novos neurônios. Atividades de lazer que envolvem habilidades motoras (como artesanato) ou aspectos intelectuais (como ler livros ou ir ao cinema) levam à criação de novas ligações entre os neurônios.

Uma dica é ler bastante, jogar PSP e jogar Go. Quem não conhece Go deve aprender, hehehe.

A atividade física contribui para o bom funcionamento do sistema circulatório, favorecendo o fluxo de sangue e a oxigenação do cérebro. O desempenho das funções cerebrais está diretamente associado ao fluxo sanguíneo nessa região. Controlar o colesterol, que “entope” os vasos com gordura, e a pressão arterial ajuda a preservar as funções da memória e as cognitivas em geral.

E a dieta rica em ômega-3, encontrado principalmente em peixes de águas geladas, fornece matéria-prima para a produção de novos neurônios.

Como já foi dito que o sono ajuda na consolidação da memória, estímulos recebidos pelo cérebro ao longo do dia se fixam durante o sono. Portanto, dormir menos do que o necessário ou ter pequenos despertares prejudica a memorização. Distúrbios do sono também levam a deficits de atenção nos períodos de vigília; sem atenção, novas informações não são absorvidas.

Certos medicamentos podem dificultar a memorização, assim como o estresse e a depressão prejudicam o desempenho nas tarefas cognitivas.

Seguindo essas dicas podemos guardar por mais tempo e melhor nossas memórias. Continuar mantendo a memória em forma e os neurônios sempre exercitando.

Fonte: Folha Online

Gran Turismo

Eu não ligo muito para carro… Não ligava porque comecei a jogar Gran Turismo no meu PSP e acabei ficando viciando em colecionar carros. São mais de 800 modelos diferentes e o mais maneiro é que existem os mais variados modelos. Desde de modelos clássicos ao mais arrojados. Além do jogos ter um visual gráfico muito bonito e os carros tem excelente qualidade gráfica.

Sem contar que é divertido correr com uma BMW, uma Ferrari, ou em um Bugatti. Ou em classicos com o Shelby Cobra 427 de 1966, o DMC DeLorean S2 contruído em 2004 e o Mini Cooper 1.3i de 1998. São tantas opções, mas como eu sou do contra ficaria feliz se pudesse comprar um carro que não está nessa lista. Um Defender 110, da Land Rover. Tudo bem que é caro, mas é um carro para toda vida e vai para qualquer lugar.

Land Rover - Defender 110