Tirando Onda

Tirando fotos de onda é o que o surfista e fotógrafo, Clark Little, anda fazendo a cerda de cinco anos. Suas imagens foram premiadas e estão em exibição no Museu Nacional de História Natural Smithsonian, em Washington, até 25 de setembro.

Especializado em registrar ondas a partir de ângulos incomuns, Little recebeu dois prêmios na última edição da Competição Internacional de Fotografia Windland Smith Rice.

As fotografias são realmente maravilhosas.

Fonte> BBC Brasil

Surf

O surf e sua história: quando teve origem não se sabe exatamente, sabe-se porém que esta prática de deslizar sobre as ondas há muito já era praticada pelos povos polinésios.O primeiro relato concreto da existência do esporte foi feito pelo navegador James Cook, em 1778, que descobriu o arquipélago do Havaí e viu os primeiros surfistas em ação.

As pranchas eram fabricadas pelos próprios usuários que utilizavam-se inicialmente pranchas de madeira confeccionadas para deslizar nas ondas do mar. Acreditava-se que ao fabricar sua própria prancha se transmitia todas as energias positivas nela e ao praticar o surf se libertava das energias negativas.

onda_002

Porem os primeiros praticantes desse esporte acreditavam que sua pratica seria na verdade um culto ao espírito do mar em sua cultura original. Cook, considerou o surf uma atividade relaxante, mas diversos missionários protestantes que habitavam o local não tiveram a mesma opinião e durante todo o século XVIII desestimularam a prática do esporte.

Fiz essa introdução porque agora chegou a minha vez, comecei a surfar neste sábado, aloha! Eu e minha mulher, é bem legal, mas não é nada fácil. Estou fazendo as aulas na Escola Pedro Muller, fica entre os postos 5 e 6 na praia da Barra da Tijuca, próximo ao Beton.

Hoje, o mar estava calmo, perfeito para aprender a surfar. Peguei as dicas de como ficar na prancha, como devo levantar e me posicionar. Tudo isso na areia.

Depois entramos no mar, pegamos nossas pranchas, long board ou pranchão que tem mais estabilidade. A àgua estava com uma temperatura agradável, poucas ondas, o que facilitava a chegada para depois da arrebentação.

A aula foi muito legal, sem caldo e ainda consegui ficar de pé na prancha, claro que levei alguns tombos, mas foi tudo muito tranquilo e legal. Minha mulher também adorou, fez tudo direitinho, mas disse que só de ficar deitada na prancha depois da arrebentação já era tudo de bom.

Encontrei o site Rico Surf que possui várias informações, notícias, entrevistas e dica sobre surf. Fala sobre as ondulações, tamanho, ventos e ainda tem videos das principais praias do Brasil.

Em breve estarei surfando ondas como esta do video, Jaws.

O Buraco Negro e o Surfista Prateado

Eu estava lendo algumas notícias sobre astronomia e me deparei com uma notícia antiga sobre o telescópio do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), que detectou em outra galáxia o buraco negro mais distante já encontrado.

Para completar, o corpo celeste está acompanhado por uma estrela que, em breve, será engolida pelo próprio buraco negro. Com uma massa 15 vezes maior que a massa do Sol, este buraco negro também é o segundo maior buraco negro de massa estelar já encontrado. O mesmo foi encontrado em uma galáxia em formato de espiral, chamada NGC 300, a seis milhões de anos luz da Terra.

Essas notícias são muito interessantes e temos apenas imagens ilustrativas. Eu queria mesmo é poder viajar pelo espaço, viajar como o Surfista Prateado. Ver o espectro eletromagnético completo, viajar distâncias além da velocidade da luz, atravessar o universo em um instante, sobreviver a temperaturas incríveis, radiação de todo tipo e suportar forças fenomenais.

O espaço tem tudo isso e muito mais. Ele é absurdamente imenso, com lugares incrivelmente violentos. Mesmo assim eu gostaria de viajar por esse universo e poder ver esses espetáculos. Assistir um buraco negro engolindo uma estrela, a explosão de uma super nova, observar um quasar, passear pela superfície do Sol, entrar em Júpiter, atravessar aglomerados, visitar outras galáxias, procurar vidas alienígenas… Tantas coisas para se fazer, tantos lugares para conhecer.

Por falar no Surfista, eu tenho Surfista Prateado: Edição Histórica que reúne em um só volume as seis primeiras aventuras do Sentinela das Estrelas. E encontrei também um site, Cinema com Rapadura, falando sobre o segundo filme do Quarteto Fantástico que tem a participação do Surfista Prateado.

O texto é bem interessante e vale a pena conferir: Surfista Prateado – Por: Thiago Siqueira.