Galaxia


do Grego galaxías.

sinônimo feminino,
grande sistema astral que inclui, para além de estrelas e planetas, grandes quantidades de gases e poeiras, e pode apresentar forma elíptica, espiralada ou irregular;
o sistema astral, também conhecido por Via Láctea, a que pertence o nosso sistema solar (grafado com inicial maiúscula).

Galáxias são enormes aglomerados de estrelas, gases, poeiras etc. Algumas galáxias possuem cerca de 100 bilhões de estrelas. De acordo com suas formas, as galáxias podem ser classificadas em elípticas, espirais ou irregulares. Estima-se em cerca de 100 bilhões o número de galáxias no Universo, aí incluindo a Nossa Galáxia.

Tipos de Galáxias
Segundo suas formas, as galáxias podem ser divididas em 3 classes:
Galáxias elípticas (Classe E);
Galáxias espirais (Classe S);
Galáxias Irregulares (Classe I).

Apesar de essa classificação ser apenas morfológica, verifica-se que as galáxias de uma determinada classe apresentam características físicas e químicas bastante semelhantes e que diferem das galáxias de outra classe. Assim, a classificação morfológica tem, também, um valor conceitual.

As galáxias elípticas apresentam estrelas de idades bastante avançadas. Possuem pouco gás e poeira interestelares.

As galáxias irregulares, contrastando com as elípticas, apresentam muito gás e matéria interestelar, predominando as estrelas jovens.

As galáxias espirais são intermediárias entre as elípticas e as irregulares. Apresentam estrelas de diferentes idades, desde as mais antigas até as mais jovens. Existem regiões ricas em gás e matéria interestelar, de modo que novas estrelas estão constantemente se formando.

De que o Universo está em expansão parece que não se tem dúvida. Mas, será que essa expansão vai continuar no mesmo ritmo atual, diminuir o ritmo ou aumentar o ritmo?

As galáxias espirais estão subclassificadas em tipos Normais e Barradas (indicadas por “B”). As espirais normais têm braços saindo de um núcleo rico em estrelas e gás. Nas espirais barradas os braços saem de estruturas que parecem barras que atravessam o núcleo da galáxia. Conforme os braços são mais ou menos enrolados em torno do núcleo, as espirais são classificadas ainda em tipos a,b ou c, respectivamente.

A Nossa Galáxia é da classe Espiral Normal tipo b: Sb.

Galáxias Satélites da Via Láctea
Olhando-se para a região sul da esfera celeste, próximo ao pólo sul celeste, podemos ver duas nuvens: são as chamadas Grande e Pequena Nuvens de Magalhães. Elas são duas galáxias irregulares, com alguns bilhões de estrelas cada. Essas duas galáxias são galáxias satélites da Nossa Galáxia: por causa das forças gravitacionais agentes entre elas e a Nossa Galáxia, elas giram em torno de um centro de massa comum.

Aglomerados de Galáxias
Quando se faz uma pesquisa sobre a distribuição das galáxias no Universo, percebe-se que elas não estão distribuídas uniformemente, mas sim tendendo a se agruparem em associações chamadas de Aglomerados de Galáxias. Muitos aglomerados agregam milhares de galáxias. Existem também aglomerados de aglomerados de galáxias.

Procura-se padrões de distribuição das galáxias no Universo. Esse padrão, talvez, possa trazer novas informações sobre a estrutura, origem e evolução do Universo.

Quasares
Quasares são objetos que possuem o brilho de uma galáxia (bilhões de estrelas) mas com dimensões que parecem ser muito pequenas. O nome Quasar é acrônimo de Objeto Quase Estelar (Quasi Stellar Object). As explicações modernas de um quasar sugere que eles sejam galáxias de um tipo específico com um núcleo muito denso e energeticamente ativo, com um sistema de braços pouco desenvolvidos.

Os quasares são os objetos mais distantes que os telescópios e radiotelescópios atuais conseguem atingir. Como estão nos limites do que a tecnologia pode observar, ainda não estão completamente desvendados, mas por suas enormes distâncias, têm interesse fundamental para a Astronomia.

Anúncios