Júpiter


Jupiter

Júpiter é o quinto planeta mais próximo do Sol e é o maior no sistema solar. Se Júpiter fosse oco, caberiam mais de mil Terras no seu interior. Contém também mais matéria do que todos os outros planetas juntos. Tem uma massa de 1.9 x 1027 kg e um diâmetro de 142.800 quilômetros no equador. Júpiter tem 39 satélites, quatro dos quais – Calisto, Europa, Ganimedes e Io – foram observados por Galileu já em 1610. Tem um sistema de anéis, que é muito tênue e totalmente invisível visto da Terra (Os anéis foram descobertos em 1979 pela Voyager 1.). A atmosfera é muito profunda, talvez compreendendo todo o planeta, e tem algumas semelhanças com a do Sol. É composta principalmente de hidrogênio e hélio, com pequenas porções de metano, amônia, vapor de água e outros componentes. Em Júpiter, a pressão é tão elevada que os átomos de hidrogênio estão quebrados e os elétrons estão livres, de tal modo que os átomos resultantes consistem de simples prótons. Isto produz um estado em que o hidrogênio se torna metálico.

Faixas coloridas latitudinais, nuvens atmosféricas e tempestades ilustram o dinâmico sistema meteorológico de Júpiter. O padrão das nuvens mudam de hora para hora, ou de dia para dia. A Grande Mancha Vermelha é uma tempestade complexa que se move em direção anti-horária. Na borda, a matéria parece rodar em quatro a seis dias; perto do centro, o movimento é menor e numa direção quase aleatória. Podem-se descobrir cadeias de outras tempestades menores e redemoinhos pelas diversas faixas de nuvens.

Foram observadas emissões aurorais, semelhantes às auroras boreais da Terra, nas regiões polares de Júpiter. As emissões aurorais parecem estar relacionadas a matéria de Io que cai na atmosfera de Júpiter, movendo-se em espiral segundo as linhas do campo magnético. Também foram observados relâmpagos luminosos acima das nuvens, semelhantes aos super-relâmpagos na alta atmosfera da Terra.

O anel de Júpiter, ao contrário dos intrincados e complexos padrões de anéis de Saturno, Júpiter tem um simples anel que é quase uniforme na sua estrutura. É provavelmente composto por partículas de poeira com menos de 10 mícrons de diâmetro. O limite exterior chega até 129.000 quilômetros do centro do planeta e o limite interior está a cerca de 30.000 quilômetros. A origem do anel é provavelmente o bombardeamento de micrometeoritos das pequenas luas que orbitam dentro do anel.

Estatísticas de Júpiter
Massa (kg) 1.900e+27
Massa (Terra = 1) 3.1794e+02
Raio equatorial (km) 71,492
Raio equatorial (Terra = 1) 1.1209e+01
Densidade média (gm/cm3) 1.33
Distância média ao Sol (km) 778,330,000
Distância média ao Sol (Terra = 1) 5.2028
Período de rotação (dias) 0.41354
Período orbital (dias) 4332.71
Velocidade orbital média (km/seg) 13.07
Excentricidade orbital 0.0483
Inclinação do eixo (graus) 3.13
Inclinação orbital (graus) 1.308
Gravidade à superfície no equador (m/seg2) 22.88
Velocidade de escape no equador (km/seg) 59.56
Albedo geométrico visual 0.52
Magnitude (Vo) -2.70
Temperatura média das nuvens -121°C
Pressão atmosférica (bars) 0.7
Composição atmosférica
Hidrogênio 90%
Hélio 10%

Resumo das luas de Júpiter
Há cerca de quatro séculos Galileu Galilei virou o seu telescópio, feito em casa, para os céus e descobriu três pontos luminosos, que primeiro pensou serem estrelas, ligados ao planeta Júpiter. Estas estrelas estava alinhadas com Júpiter. Despertando o seu interesse, Galileu observou as estrelas e descobriu que elas se moviam na direção errada. Quatro dias mais tarde apareceu outra estrela. Depois de observar as estrelas durante as semanas seguintes, Galileu concluiu que não eram estrelas mas corpos planetários em órbita à volta de Júpiter. Estas quatro estrelas passaram a ser conhecidas por Satélites Galileanos.

As luas de Júpiter são relativamente pequenas e parecem mais ter sido capturadas do que formadas em órbita à volta de Júpiter. As quatro maiores luas galileanas, Io, Europa, Ganímedes e Callisto, parecem ter sido formadas por agregação como parte do processo de formação do próprio planeta.

Satélites (39) Distância média do centro do planeta Período orbital (dias) Inclinação (graus) Excentricidade
103 km raio planetário
Metis 127,6 1,79 0,294
Adrastea 128,4 1,79 0,297
Amaltéia 180,99 2,52 0,498 0,40 0,003
Tebe 222,4 3,11 0,678 0,80 0,015
Io 421,81 5,87 1,769 0,04 0,004
Europa 671,14 9,34 3,551 0,47 0,009
Ganimedes 1.070,5 14,91 7,155 0,21 0,002
Calisto 1.882,9 26,22 16,689 0,51 0,007
Themisto
Leda 11.134 155,2 238,72 26,1 0,148
Himalia 11.478 160,6 250,57 27,6 0,158
Lisitéia 11720 163,9 259,22 29,00 0,107
Elara 11.737 164,2 259,65 24,80 0,207
S/2000 J11
Iocaste
Praxidike
Harpalyke
Ananke 21.209 295,3 631 147,00 0,169
Isonoe
Erinome
Taygete
Chaldene
Carme 22.564 314,2 692 164,00 0,207
Pasifae 23.457 326,6 735 145,00 0,378
Kalyke
Megaclite
Sinope 23.725 330,3 738 153,00 0,275
Callirrhoe
S/2001 J10
S/2001 J8
S/2001 J9
S/2001 J2
S/2001 J7
S/2001 J3
S/2001 J6
S/2001 J4
S/2001 J11
S/2001 J5
S/2001 J1
Anúncios