Átomo


Tudo começou com a busca do elemento primordial da matéria prima que compõe o Universo, há mais de 25 séculos na Grécia. O filósofo Tales de Mileto que viveu aproximadamente entre 624 e 558 antes da Era Comum, em Mileto. Afirmava que o elemento primordial do Universo era a água, “sobre a qual a Terra flutua e é o começo de todas as coisas“. No entanto para Anaxímenes de Mileto, filósofo contenporaneo de Tales viveu entre 585 até 528 antes da Era Comum, também em Mileto, o ar era a matéria prima do Universo. Porque o ar se reduziria à água por simples compressão. Para Xenófanes de Cólofon que viveu entre era 570 e 460 antes da Era Comum, nascido na cidade de Cólofon, na Jónia, a terra a substância primordial. Sua doutrina é um panteísmo idealista que vê uma unidade em toda a matéria. E para completar os elementos que marcaram muitas cultaras como elementos básicos. O fogo foi proposto como a matéria primordial, por Heráclito de Éfeso que viveu entre 540 e 470 antes da Era Comum em Éfeso, na Jônia.

A noção de átomo ofereceu à filosofia ocidental uma das mais importantes alternativas de especulação e de pesquisa. Foi o instrumento principal da explicação mecânica das coisas e, em geral, do mundo. Após 500 antes da Era Comum, surge um novo movimento filosófico que tenta explicar a matéria não só constituída como um elemento único num sentido “macro”, mas como uma porção também única, subdividida num sentido “micro”.

esfera

Foi assim que Leucipo de Mileto e Demócrito apresentaram uma visão segundo a qual todas as coisas no Universo são formadas por um único tipo de partícula – o átomo, um elemento corpóreo, invisível pela sua pequenez e não divisível. Sistematizando o pensamento e a teoria atomista.

O átomo só voltou a ser citado na Europa por volta do século XV, graças a Nicolau Copérnico que em seu livro “DAS REVOLUÇÕES DOS CORPOS CELESTES”, falou da corporeidade dos átomos. E mais tarde, século seguinte, pelo o físico e astrônomo italiano Galileu Galilei. Eu diria que aqui o átomo começa a sair da filosofia e começa a ser analisado físicamente.

No século XVII, o físico e químico inglês Robert Boyle e seu assistente, o físico inglês Robert Hooke tornaram claro seu apoio às teorias atômicas para explicar as substâncias materiais. E Isaac Newton, físico e matemático, foi outro inglês a defender e a expor as idéias atomísticas, em seu livro “ÓPTICA”. Até aqui o pensamento geral era de que o átomo era indivisível.

A primeira evidência experimental sobre a estrutura do átomo foi verificada pelo físico e químico inglês Michael Faraday que viveu durante final do século XVIII, início do século XIX. Faraday descobriu o fenômeno da eletrólise, isto é, a ação química da eletricidade.

atomo

Chegamos então a definição atual do que é átomo. Átomo é a menor partícula que ainda caracteriza um elemento químico. Ele é constituído por um núcleo formado de nêutrons, partículas sem carga, e de prótons, partículas carregadas positivamente, núcleo em volta do qual gravitam elétrons negativos. E elétrons são minúsculas partículas que vagueiam aleatoriamente ao redor do núcleo central do átomo, sua massa é cerca de 1840 vezes menor que a do Núcleo.

O átomo deixou de ser a menor particula no século XIX para dar lugar aos prótons, nêutrons e elétrons. E no século passado esses elemento deixaram de ser os menores. Começou, então, o estudo do núcleo do átomo chamado de Física Nuclear. Como resultado desse estudo descobrimos maneiras de dividir o núcleo do átomo para liberar grandes quantidades de energia.  Gerando uma reação nuclear em cadeia, partindo-se um núcleo faz com que muitos outros se dividam.

A Física de Partículas é o estudo dessas últimas unidades que constituem os mais básicos blocos formadores da matéria no universo. Esse estudo deu um conhecimento mais amplo do Universo e da natureza da matéria.

Os físicos dividem as partículas atômicas fundamentais em três categorias: quarks, léptons e bósons. Os léptons são partículas leves como o elétron. Voltamos a criar teorias para explicar o mundo, porque não temos instrumentos suficiente preciso ou suficiente capaz de encontrar todas essas partículas fundamentais. Estamos investindo mais do nunca para atingir essa meta e descobrir mais segredos do universo.

Anúncios