Meus Livros


Frodo lendo

Volto a falar sobre os “Meus Livros“, assunto que iniciei do dia 4 de maio. Como será um assunto que irá render outros tópicos resolvi criar uma categoria só para ele com o mesmo nome, Meus Livros. A categoria está disposta na lateral direita do blog em Divisões.

A “aventura literária” continua, quero destacar um livro que marcou muito a minha infância. “O HOMEM QUE CALCULAVA” de Malba Tahan, ou melhor Ali Iezid Izz-Edim Ibn Salim Hank Malba Tahan, ou na realidade Júlio César de Melo e Sousa, o nome verdadeiro do autor. Júlio César criou o pseudônimo de Malba Tahan para escrever vários romances. É conhecido no Brasil e no exterior por seus livros de recreação matemática e fábulas e lendas passadas no Oriente. E mais uma curiosidade sobre o autor, em sua homenagem o dia de seu nascimento – 6 de maio – foi decretado pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, o Dia da Matemática.

8501061964Realmente seu livro me fez gostar mais de matemática, como disse James D. Stein em seu livro “COMO A MATEMÁTICA EXPLICA O MUNDO – O PODER DOS NÚMEROS NO COTIDIANO“: “Acredite em mim, não acordei aos 18 anos e disse a mim mesmo: “A Matemática parece interessante – talves eu devesse me especializar nessa área”. Eu gostava de Matemática dese a primeira vez em que comecei a contar coisas, no jardim-de-infância, até mesmo antes disso.”

Lendo o livro “O HOMEM QUE CALCULAVA” aprendi a ver a beleza da matemática e comecei a entender como ele existe e que realmente o título do livro de Stein se aplica tão bem. Também Tahan conseguiu de forma magistral unir ciência e ficção em um belo romance.

Uma pequena prévia do livro. Malba Tahan narra a história de Bereniz Samir, um viajante com o dom intuitivo da matemática, manejando os números com a facilidade incrível. Problemas aparentemente sem solução tornam-se de uma transparente simplicidade quando expostos a ele. As aventuras vividas pela personagem além de ser uma oportunidade para os aficcionados dos algarismos e jogos matemáticos se deliciarem com os vários capítulos lúdicos da obra, mostra um pouco da cultura árabe que é muito interessante e rica. O livro é uma pequena obra-prima da literatura infanto-juvenil.

Esse tipo de leitura me levou a conhecer Isaac Asimov, não o autor de grandes obras de ficção científica, mas o escritor de não-ficção que escreveu “NO MUNDO DOS NÚMEROS“, um livro sobre a teoria dos números, e “NO MUNDO DA ÁLGEBRA” que aborda o senso para operações, mistura de operações, divisão, parênteses, equações por graus e fatoração de equação quadrática. Asimov é um dos meus escritores preferidos, e suas obras sobre matemática foram meu primeiro contato, mas o que me facinou mesmo foi sua obra mais famosa, “FUNDAÇÃO“. Não irei abordá-la, hoje, porque iria tomar muito tempo, prentendo comentar sobre a “FUNDAÇÃO” e os outro livros de Asimov em outra oportunidade.

8533617925A curiosidade sobre matemática me levou a ler mais livros sobre a matemática como “OS PROBLEMAS DO MILÊNIO” de Keith Devlin, sete grandes enigmas matemáticos do nosso tempo. O livro aborda uma competição histórica que desafia a resolver pelo menos um dos problemas e como prêmio receberá um milhão de dólares. Este desafio vem desde 1900, quando o matemático alemão David Hilbert apresentou na conferência do Congresso Internacional de Matemática de Paris em 1900 uma lista de 23 problemas em matemática propostos que mais tarde veio a se chamar, os Problemas de Hilbert. Desses 23, existem sete que ainda não foram resolvidos.

Esses problemas me levaram para a aleatoriedade das coisas. “ALEATORIEDADE” de Deborah J. Bennet me mostrou que todos nós já fomos, de algum modo, tocados pelas leis do acaso. Porque as estatísticas que descrevem nosso mundo probabilístico estão por toda a parte.

Arte-Descartes04.inddIsso tudo parece lógico, então porque não estudar a lógica. “USE A LÓGICA” de D. Q. McInerny, um guia para o pensamento eficaz que nos oferece uma forma para aprendermos a tirar proveito da lógica no dia-a-dia.

Eu volto a citar James D. Stein porque, mesmo que não seja óbivio, vivemos em um mundo matemático e a matemática pode até não tudo, mas explica muita coisa. Stein explica, em “COMO A MATEMÁTICA EXPLICA O MUNDO – O PODER DOS NÚMEROS NO COTIDIANO“, grandes resultados da Matemática do século XX de forma bem humorada, precisa e acessível.

Cheguei a Descartes através do livro “O CADERNO SECRETO DE DESCATES” de Amir D. Aczel que procura traçar uma real confluência entre os dois lados da história, o verdadeiro e o místico. É um misto de biografia e aventura investigativa, que oferece uma visão fascinante de uma das figuras mais importantes da filosofia e da matemática ocidentais.

Casa do Saber

E a Matemática me trouxe a Filosofia, o princípio da ciência. Ciência será o assunto um próximo texto. Estou fazendo um curso na Casa do Saber. Chama-se “GRANDES IDÉIAS E MARCOS DA HISTÓRIA DAS CIÊNCIAS” com o professor Luiz Alberto Oliveira – físico, doutor em Cosmologia e professor de História e Filosofia da Ciência – que fala das origens da prática científica, “proto-ciência”, fala do nascimento da filosofia, fala também da ciência medieval, da contribuição do “oriente”, do renascimento, da ciência clássica, da descoberta da evolução, fala do cosmos relativístico e a microfísica quântica, das tecnologias, consciência e matéria e muito mais. Fiquei impressionado com o curso e recomendo a todos frequentar a Casa do Saber.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s